terça-feira, 19 de julho de 2011

Atividades de História Moderna - Expansão Marítima

Questões de Vestibular: História - Moderna - Expansão Marítima

Questão 1: (PUC-MG) Relacionam-se às viagens marítimas européias dos séculos XV e XVI, exceto:
A - o desenvolvimento de técnicas náuticas;
B - o estabelecimento de novas rotas comerciais;
C - o enfraquecimento dos Estados Absolutistas;
D - a implantação das práticas mercantilistas.

Questão 2: (UERGS) Com a assinatura do Tratado de Tordesilhas, em 1494, linha imaginária que, contadas 370 léguas náuticas a partir do ______, rumo ao ______, estabelecia um ponto terminal de onde se traçaria um paralelo, de pólo a pólo, dividindo o mundo em duas metades. Por esse acordo, as terras, descobertas ou a descobrir, existentes a oeste, pertenceriam a _____ e as existentes a leste, a ________. Complete o texto acima assinalando a única alternativa que preenche todas as lacunas corretamente:
A - Arquipélago do Cabo Verde; Ocidente; Espanha; Portugal
B - litoral africano; Sul; Portugal; França
C - Arquipélago dos Açores; Ocidente; Holanda; Espanha
D - Cabo Bojador; Oriente; Portugal; Espanha
E - Cabo Branco; Norte; Inglaterra; França

Questão 3: (VUNESP) Antes deste nosso descobrimento da Índia, recebiam os mouros de Meca muito grande proveito com o trato da especiaria. E assim, o grande sultão, por mor dos grandes direitos que lhe pagavam. E assim também ganhava muito Veneza com o mesmo trato, que mandava comprar a especiaria a Alexandria, e depois a mandava por toda a Europa. (Fernão Lopes de Castanheda. História do descobrimento e conquista da Índia pelos portugueses (1552-1561), citado por Inês da Conceição Inácio e Tânia Regina de Luca, Documentos do Brasil Colonial. SP: Ática, 1993. p. 19.) O texto refere-se:
A - à união política e militar entre venezianos e mouros, contrários às navegações portuguesas;
B - à chegada dos navegantes portugueses à Índia, comprovando empiricamente a esfericidade da Terra;
C - ao enriquecimento do grande sultão muçulmano, às custas do empobrecimento das cidades italianas;
D - ao deslocamento do comércio lucrativo de especiarias da região do Mar Mediterrâneo para o Oceano Atlântico;
E - ao projeto de expansão marítima da Coroa portuguesa, preocupada em difundir a fé cristã.

Questão 4: (FUVEST/SP) "Antigamente a Lusitânia e a Andaluzia eram o fim do mundo, mas agora, com a descoberta das Índias, tornaram-se o centro dela." Essa frase, de Tomás de Mercado, escritor espanhol do século XVI, referia-se:
A - ao poderio das monarquias francesa e inglesa, que se tornaram centrais desde então;
B - à alteração do centro de gravidade econômica da Europa e à importância crescente dos novos mercados;
C - ao papel que os portos de Lisboa e Servilha assumiram no comércio com os marajás indianos;
D - ao fato de a América ter passado a absorver, desde então, todo o comércio europeu;
E - ao desenvolvimento da navegação a vapor, que encurtava distâncias.

Questão 5: (UNIRIO/RJ) Inúmeros escritores e poetas portugueses retrataram o imaginário que acompanhou o homem ibérico na sua aventura pelos mares nunca dantes navegados. Temores e fantasias não o impediram de se lançar às águas do mar Oceano, arriscando-se em busca, principalmente, de:
A - novos caminhos para o Oriente, novos mercados, metais preciosos e propagar a fé cristã;
B - escravos africanos, cana-de-açúcar, metais preciosos e catequizar os indígenas;
C - escravos e ouro, desvendar os segredos dos mares e descobrir correntes marítimas desconhecidas;
D - ouro e marfim, expandir o protestantismo e romper o monopólio árabe-veneziano no Mediterrâneo;
E - pau-brasil, testar os novos conhecimentos náuticos e conhecer novas rotas.

Questão 6: (UFMG) Leia estas estrofes iniciais de Os Lusíadas, poema datado de 1572:

As armas e os barões assinalados
Que, da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
E em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;
E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da Morte libertando:
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.
Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram.
Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.
(CAMÕES, Luís de. Os Lusíadas. Porto: Porto Editora, 1975. p. 69.)

Com base na leitura dessas estrofes, é CORRETO afirmar que a idéia central do poema é:
A - exaltar a religião reformada e os valores puritanos, num contexto em que a Europa se expandia na direção de novos mundos;
B - louvar os modelos antigos até então referenciais para a cultura européia, como as epopéias homéricas e os feitos de heróis gregos e romanos;
C - narrar a saga marítima portuguesa, ou seja, os feitos relacionados às expedições oceânicas realizadas pelos lusos a partir do século XV;
D - relatar os acontecimentos mais marcantes da conquista e colonização das terras brasileiras, visando a gravá-los na memória dos contemporâneos.

Questão 7: (UESC/BA) Entre os séculos XVI e XVII, a economia européia expandiu suas fronteiras por meio:
A - da conquista de terras no norte da África;
B - da exploração das áreas coloniais no Novo Mundo;
C - de alianças entre comerciantes católicos e protestantes;
D - da participação de judeus na administração das terras conquistadas;
E - de acordos estabelecidos com comerciantes árabes, no Oceano Pacífico.

Questão 8: (FUVEST/SP) No período denominado Baixa Idade Média, houve desenvolvimento do comércio e florescimento de cidades. O crescimento econômico da Europa ocidental intensificou-se com a expansão ultramarina do século XV. Considera-se essencial para tal expansão:
A - a crise e o enfraquecimento comercial das cidadesestados italianas, fornecedoras na Europa dos produtos orientais;
B - a centralização do poder político e a possibilidade de investimento de recursos monetários estatais em expedições marítimas;
C - a ocupação de Constantinopla pelos turcos otomanos e o fim dos contatos pacíficos entre o Ocidente e o Oriente;
D - a abundância de metais na Europa e o crescimento de circulação monetária em condições de financiar empreendimentos dispendiosos;
E - a ruptura da unidade cristã do Ocidente e a formação de religiões cristãs adaptadas à ética da acumulação capitalista.

Questão 9: Assinale a alternativa correta.
“As armas e os barões assinalados
Que, da ocidental praia lusitana,
Por mares nunca dantes navegados
Passaram ainda além da Taprobana”
(Ceilão)

[...]
Cantando espalharei por toda parte,
Se tanto me ajudar o engenho e arte.”
(Apud SARONI, p. 47)

Luís Vaz de Camões, autor do famoso poema Os Lusíadas (1572), imortalizou com seus versos:
A - o apogeu do sistema feudal;
B - o poder da Igreja medieval;
C - o domínio árabe no Mediterrâneo;
D - a expansão marítima lusitana;
E - a tomada de Constantinopla pelos turcos.

Questão 10: (FGV/RJ) Para esta questão são feitas três afirmativas, cada uma pode ser certa ou errada. Leia-as com atenção e assinale a alternativa correta:
I. A privilegiada posição geográfica de Portugal possibilita, ao país, o pioneirismo na empresa das
navegações.
II. Como conseqüência das viagens de descobrimento, o comércio expande-se, tornando-se um empreendimento mundial.
III. O comércio das especiarias, feito através do Mar Mediterrâneo, era controlado pelos portugueses.
A - apenas a afirmativa I é correta;
B - apenas as afirmativas I e II são corretas;
C - apenas as afirmativas I e III são corretas;
D - todas as afirmativas são corretas;
E - todas as afirmativas são erradas.

Questão 11: (UFPR) No conjunto de importantes viagens e expedições marítimas do século XVI, as quais chamamos de “Grandes Navegações”, nota-se clara preponderância dos países ibéricos. A este respeito é correto afirmar:
1 - As navegações do período se faziam com recurso exclusivo à bússola, uma vez que ainda não se havia iniciado o estudo da navegação astronômica, isto é, orientada através da observação dos astros.
2 - As embarcações adotadas pelos portugueses e espanhóis – as galeras – eram semelhantes àquelas utilizadas pelos navegantes genoveses e venezianos.
4 - Por sua localização geográfica, Portugal tornava-se particularmente indicado para promover explorações marítimas: seu litoral se encontra a meio caminho entre o Mediterrâneo e o Mar do Norte, e bastante próximo à costa africana e das ilhas atlânticas. 8 - Tanto Portugal quanto Espanha podiam contar com o apoio financeiro de vários comerciantes às expedições, interessados em reatar relações com o Oriente desde a queda de Constantinopla (1453).
16 - A Espanha entrou com relativo atraso na disputa com os portugueses pela descoberta de novas terras, em função de sua luta contra os muçulmanos pela reconquista de territórios ibéricos.
32 - A precoce centralização monárquica, a consolidação do poder central e a aliança com uma nova classe mercantil possibilitaram a Portugal, desde o início do século XV, estimular a expansão comercial
e as expedições marítimas.
SOMATÓRIA (_____)

Questão 12: (PUC-PR) Os novos descobrimentos portugueses, a partir do século XV, significaram principalmente:
A - oportunidade para desafogar a superpopulação da península Ibérica,
devido à alta densidade demográfica;
B - ocasião para implantar novos reinos cristãos;
C - facilidade de intercâmbios científicos com os povos dos outros continentes;
D - destruição da civilização chinesa com a provocação da “guerra do Ópio” e a instalação
do entreposto de Macau;
E - redefinição da geografia econômica do Ocidente, pela abertura de novos mercados, novas rotas, conquista monopolista de novas linhas para a circulação econômica internacional.

Questão 13: O fato que marcou o início da expansão ultramarina portuguesa foi a:
A - fundação da escola de Sagres;
B - queda de Constantinopla;
C - tomada da cidade de Ceuta;
D - subida ao poder do infante D. Henrique;
E - queda da dinastia de Navarra.

Questão 14: A expansão marítima comercial européia foi marcada desde o seu início por uma série de atritos envolvendo, principalmente, Portugal e Espanha.
Um deles referia-se ao descontentamento de Portugal com a partilha legitimada pelo papa Alexandre VI, a qual tornava possessão portuguesa todas as terras que se encontrassem a 100 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde. Estamos nos referindo:
A - à Bula Inter Coetera;
B - ao Tratado de Tordesilhas;
C - ao Tratado de Saragoça;ao Tratado de Saragoça;
D - à Bula Romanus Pontifex;
E - ao Tratado de Lisboa.

GABARITO:
- questão 1: C - questão 2: A - questão 3: D - questão 4: B - questão 5: A - questão 6: C - questão 7: B - questão 8: B - questão 9: D - questão 10: B - questão 11: 60 - questão 12: E - questão 13: C – questão 14: A

Nenhum comentário:

Postar um comentário