sexta-feira, 15 de julho de 2011

Atividades de História Medieval - Feudalismo

Questões de Vestibular: História - Medieval - Feudalismo

Questão 1: (FUVEST/SP) Na Europa Ocidental, durante a Idade Média, o auge do feudalismo (século X ao XIII) coincide com o auge da servidão. Explique
a) No que consistia a servidão.
b) Por que a servidão entrou em crise e deixou de ser dominante a partir do século XIV.

Questão 2: (UEPA) Imagem iconográfica de LOYN, H. R. (Org.). Coração – Século XIV. In: Dicionário da Idade Média. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 1990. p. 81.

A iconografia anterior está associada a uma importante instituição medieval. Trata-se da(s):
A - Universidades;
B - Igreja;
C - Cavalaria;
D - Corporações de Ofício;
E - Monarquia.

Questão 3: (UFPA) “Na civilização deste tempo [Medieval] o campo é tudo. Vastas regiões, a Inglaterra e quase toda a Germânia, não têm uma única cidade.” DUBY, Georges. Economia rural e vida no campo no Ocidente Medieval. Lisboa: edições 70, 1987, v. 1, p. 19. Sobre o universo do trabalho no campo no mundo feudal, é correto afirmar que:

A - o camponês estava preso ao poder político e social centralizado pelo rei, o qual, de seu castelo, controlava, de forma absoluta, a vida e o trabalho de seus suseranos e vassalos;
B - a servidão atrelada à terra e aos senhores feudais decorre do enfraquecimento das cidades pelas guerras e pelos saques que marcaram o fim do Império Romano;
C - as cidades foram devassadas pela peste negra e os camponeses fugiram para o campo, tornando-se servos dos senhores feudais;
D - as cidades eram lugares perigosos e repletos de doenças e ataques, onde o comércio era insignificante, e o campesinato numeroso e marcado pela relação escravista;
E - o camponês fugia para as cidades medievais, para escapar do domínio dos senhores feudais, que atacavam as cidades, fazendo-as alvo de guerra.

Questão 4: (UFPA) Planta da cidade de Bruges (Braun e Hogemberg, 1572).
No século XVI, quando foi desenhada a planta de Bruges, a cidade fortificada ainda preservava antigas características medievais. A iconografia anterior, portanto, revela uma cidade medieval:
A - fortificada como um feudo, estabelecido sob o comando dos antigos suseranos belgas, constituído pelo castelo central e pelas residências dos servos medievais;
B - murada e circundada por rios e pontes que facilitavam o estabelecimento do comércio emergente no final da Idade Média;
C - com muros demarcadores do território urbano – modo diferenciador do espaço rural ocupado por camponeses pobres e também por comerciantes rurais;
D - circundada pelos muros medievais, que dificultavam o crescimento populacional e social, conforme modelo do capitalismo emergente durante o período final da Idade Média;
E - fechada entre rios e muros altos, que serviam para a proteção e segurança dos mercadores diante das invasões mouras e daquelas organizadas pelos escravos fugitivos do poder feudal.

Questão 5: (EMESCAM/ES) Entre as características do feudalismo, sistema político social e econômico estruturado na Europa nos séculos IX e X estão:
1. A existência de monarcas poderosos.
2. A divisão territorial em glebas denominadas feudos e o vínculo de subordinação entre os indivíduos baseado na posse da terra.
3. O relacionamento entre os indivíduos do feudo com base em direitos e obrigações.
4. O apogeu do liberalismo econômico e grande atividade mercantil entre os diversos feudos e nações.
Assinale:
A - Se os itens 1, 2, 3 e 4 são os corretos.
B - Se os itens 2, 3 e 4 são os corretos.
C - Se os itens 1 e 4 são os corretos.
D - Se os itens 3 e 4 são os corretos.
E - Se os itens 2 e 3 são os corretos.

Questão 6: (UFAM) Da Sociedade Feudal européia é correto afirmar que:
A - Possuía uma estrutura social imóvel, não admitindo mobilidade entre as três camadas (guerreiros, sacerdotes e trabalhadores) que a estruturavam.
B - Foi marcada pela expansão dos preceitos religiosos cristãos e pelo fortalecimento da Igreja no Ocidente.
C - Foi marcada pelo total desaparecimento das cidades e conseqüente concentração da população nos feudos.
D - A concentração do poder nas mãos dos senhores feudais descentralizou a estrutura de poder e inviabilizou o surgimento de reinados e monarquias.
E - A auto-suficiência dos feudos foi a principal responsável pelo desaparecimento do comércio, existindo este apenas em escala local.

Questão 7: (UEA/AM) “O homem está na terra para servir ao Senhor” é a formulação básica da ideologia feudal que orienta a cadeia de dependências característica do sistema. Assinale a alternativa que corresponde corretamente a essa formulação:
A - A coerção econômica e a violência eram os meios de subordinação do servo da gleba, pobre e fraco diante do senhor, que era, ao mesmo tempo, chefe militar e proprietário rural.
B - O servo da gleba era um arrendatário que devia pagamento ao senhor pela utilização da terra, em produtos in natura, porque a circulação da moeda era nula.
C - Embora pobre, o servo era um parceiro, pois ocupava a gleba e dividia a produção de sua parcela com o senhor.
D - Os camponeses estavam sujeitos à jurisdição do senhor, a quem deviam obrigações e rendas em espécie; este, por sua vez, devia serviços a outro senhor, numa escala de dependência pessoal, que caracterizava o sistema.
E - Enquanto a dependência entre vassalos e senhores era pessoal e juramentada diante da autoridade eclesiástica, a dependência do servo era econômica.

Questão 8: (UFMT) O fragmento abaixo refere-se à sociedade medieval.
Assim, pois, a cidade de Deus que é tomada como una, na realidade é tripla. Alguns rezam, outros lutam e outros trabalham. ADALBERON, Carmen ad Rotbertum regem francorum, P. L. CXLI. A partir da leitura do fragmento, assinale a alternativa que apresenta uma importante característica daquela sociedade:
A - Divisão em dois estados, um divino e outro laico.
B - Divisão estamental em três ordens, a composta pela Igreja, outra pela nobreza e a última pelos servos.
C - Divisão em classes sociais ligadas aos militares, ao proletariado e à burguesia.
D - Aparente unidade da sociedade que escondia o poder enfraquecido da Igreja.
E - O inquestionável poder da Igreja frente à frágil organização estamental.

Questão 9: (PUC-RS) Para responder à questão 22, considere as afirmativas abaixo, sobre a estrutura política do feudalismo na Europa Ocidental.
I. O rei, ao doar terras a um nobre, em geral não outorgava direitos sobre a população habitante daquela terra, que ficava submetida à justiça real.
II. O vassalo, nobre que recebia terras de seu suserano, devia e este obrigações, tais como serviço militar, hospedagem e contribuição para o dote e armação de seus filhos.
III. As relações de suserania-vassalagem limitavam-se ao rei e aos nobres mais ricos do reino, não se estabelecendo nas relações entre os nobres mais ricos e os menos poderosos.
IV. A figura do rei conservou seu caráter sagrado, em geral confirmado pela unção recebida do Papa no ato de sua coroação.
Estão corretas as afirmativas:
A - I e II.
B - I e III.
C - II e IV.
D - I, III e IV.
E - II, III e IV.

Questão 10: (UFC) No ano de 1348, a peste negra devastou a Europa e ceifou um terço de sua população. Analise as afirmações abaixo sobre essa catástrofe:
I. Veio da Ásia pela rota da seda, em virtude do comércio estabelecido por negociantes genoveses e venezianos.
II. Ocorreu num século de retração da economia européia, marcado por várias revoltas camponesas, e contribuiu para o enfraquecimento do feudalismo.
III. Atingiu indiscriminadamente as várias categorias sociais, tanto das cidades como das áreas rurais, como ocorria com outra doença comum na época, a lepra.
Com base nas três assertivas, é correto afirmar que somente:
A - I é correta;
B - II é correta;
C - III é correta;
D - I e II são corretas;
E - II e III são corretas.

Questão 11: (UEFS/BA) O caráter fundamental dessas sociedades reside nas relações de produção que se acham em sua base; propriedade do senhor sobre a terra e propriedade limitada do senhor sobre o camponês. Essa propriedade da pessoa é muito importante; sem ela, o senhor não poderia exigir os tributos e as prestações pessoais (Marx e Lênin insistiram neste ponto). THEO e outros. 1988, p. 29. O texto se refere ao:
A - escravismo clássico, na medida em que as relações de produção se baseavam na expropriação do excedente econômico do senhor sobre o trabalhador rural;
B - escravismo colonial, visto que a metrópole impunha limites na exploração do escravo, considerado uma mercadoria de alto valor comercial;
C - feudalismo, já que o servo devia inúmeras obrigações ao senhor feudal, não podendo abandonar os domínios feudais;
D - período da Baixa Idade Média, quando o surgimento da burguesia e do comércio reduziu as obrigações entre os senhores e seus servos;
E - fortalecimento do poder real, na Idade Moderna, quando o monarca impunha sua autoridade sobre toda a nação, inclusive o direito sobre todas as terras do reino.

Questão 12: (UCS/RS) Assinale a alternativa que apresenta características do sistema feudal, que começou a se estruturar na Europa ao final do Império Romano do Ocidente (século V), atingiu seu apogeu no século X e praticamente desapareceu ao final do século XV:
A - Sociedade estamental, economia monetarizada e Estado centralizado.
B - Mobilidade social, economia agrária e fragmentação política.
C - Regime de trabalho servil, fragmentação política e economia agrária.
D - Regime de trabalho escravo, política centralizada e economia agrária.
E - Laços de vassalagem, economia monetarizada e Estado monárquico centralizado.

Questão 13: (ULBRA/RS) A escravidão e a servidão fazem parte de um divisor de águas para a diferenciação de períodos históricos característicos da Europa. Embora exista uma certa utilização equivocada, envolvendo os conceitos, podemos dizer que em essência e em lógica de perpetuação dos sistemas socioeconômicos:
A - a escravidão possuía uma prática comum em todas as regiões da Europa, da Ásia e da América ligada ao feudalismo;
B - a servidão era componente fundamental para a definição da ação dos pretores e do desenvolvimento das áreas de plantation;
C - a escravidão na idade média era fonte principal do abastecimento de mão-de-obra qualificada para o comércio;
D - a servidão vinculava o trabalhador à terra e determinava a abrangência do poder do senhor feudal;
E - a escravidão em Roma caracterizava-se unicamente pela exploração de negros vindos da África que eram, diretamente, exportados para as áreas de plantation na América.

Questão 14: (UFPE) Muitos elementos do feudalismo, conhecidos e estudados na atualidade, vieram dos povos germânicos.
No tocante a essas influências, podemos afirmar que:
A - o conceito germânico de relação contratual entre governantes e súditos teve uma grande influência na Europa Medieval;
B - a idéia de governo baseado em dinastias não existia entre os germânicos, embora estivesse presente no feudalismo;
C - a concepção da lei como resultado da vingança dos deuses germânicos antropomórficos influenciou as comunidades urbanas medievais;
D - a idéia de soberania eletiva, muito comum entre os germânicos, teve repercussões no mundo medieval;
E - a concepção de lei como propriedade pessoal do indivíduo, que se opunha à concepção romana definida pelo território ocupado, recebeu influência dos povos germânicos.

Questão 15: (UPE) A sociedade feudal era bastante hierarquizada, marcada pelo domínio dos grandes latifundiários com suas guerras e disputas militares e pelo poder da Igreja Católica. Existiam grupos sociais mais pobres, como os vilões que:
A - se comportavam como escravos, embora não dependessem da proteção do senhor em caso de guerra;
B - tinham as mesmas obrigações dos servos, trabalhando todos os dias para aumentar a propriedade do senhor;
C - dependiam da Igreja Católica e dos senhores feudais, sendo considerados os grandes guerreiros dos feudos;
D - resumiam seu trabalho aos serviços domésticos do castelo feudal, sem envolvimento com o cultivo das plantações;
E - dependiam da proteção de um senhor, embora tivessem pequenas propriedades e melhor condição que o servo.

Questão 16: (PUC-PR) Textos de todos os povos falam do excesso e do peso do pagamento de tributos, incluindo os camponeses ou servos de gleba medievais no Ocidente da Europa. Para estes, das várias obrigações, cita-se o pagamento de tributo em espécie e fornecimento de mão-de-obra gratuita para reparo de pontes, estradas, canais, etc., respectivamente com os nomes de:
A - corvéia – talha;
B - censo – capitação;
C - banalidades – talha;
D - talha – corvéia;
E - taxa de casamento – mão morta.

Questão 17: (UEL/PR) As três heranças culturais que formaram a Idade Média – a romana, a germânica e a cristã – tinham preconceito em relação ao trabalho. Na sociedade escravocrata romana, privilegiava-se a dedicação aos prazeres materiais e às “coisas do espírito” (poesia, filosofia, música); a sociedade germânica valorizava a riqueza obtida pela conquista; já o pensamento cristão identificava o trabalho ao resgate do pecado original. Adaptado de: FRANCO JR. Hilário. Cocanha. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o trabalho no medievo, considere as afirmativas a seguir:
I. As obrigações dos camponeses variavam conforme a sua condição jurídica (livres, escravos ou servos), mas o século XI caracterizou-se pela servidão no Ocidente europeu, o que implicou em obrigações como a corvéia e o pagamento de várias taxas.
II. O trabalho não era condizente com a formação da nobreza. Suas riquezas provinham da exploração dos patrimônios herdados, principalmente terras, e da pilhagem resultante dos conflitos militares.
III. O movimento camponês da jacquerie pretendeu a abolição do trabalho, a liberdade de expressão nos assuntos políticos e religiosos e o estabelecimento de um governo comunal.
IV. A partir do progresso agrícola entre os séculos XI e XII, a população, de modo geral, passou a se alimentar mais e melhor, o que possibilitou o crescimento demográfico e o sucessivo dinamismo comercial.
V. A ascensão da burguesia, ao final da Idade Média intensificou a rejeição ao trabalho, o que se evidencia no crescimento de movimentos anarquistas nos meios urbanos.
Estão corretas apenas as afirmativas:
A - I, II e III;
B - I, II e IV;
C - I, III e V;
D - II, IV e V;
E - III, IV e V.

Questão 18: (FUVEST/SP) Na representação que a sociedade feudal, da Europa Ocidental, deixou de si mesma (em textos e em outros documentos não escritos):
A - os nobres, por guerrearem, ocupavam o primeiro lugar na escala social;
B - as mulheres, quando ricas, ocupavam um alto lugar na escala social;
C - os clérigos, por orarem, ocupavam o segundo lugar na escala social;
D - os burgueses, por viverem no ócio, ocupavam um lugar médio na escala social;
E - os camponeses, por labutarem, ocupavam o último lugar na escala social.

Questão 19: (FTC/BA) A estrutura feudal, na Baixa Idade Média, apresentou várias características, dentre as quais é possível distinguir:
A - a retração do comércio local e a sensível redução dos núcleos urbanos.
B - a substituição dos servos pela mão-de-obra escrava de origem negro-africana.
C - o significativo apoio da burguesia ao pensamento e à orientação econômica da igreja.
D - a concentração permanente da população nas zonas rurais e nas atividades agroexportadoras.
E - o retorno das atividades comerciais e a conseqüente intensificação das transações financeiras.

Questão 20: (FTC/BA) A transição da ordem feudal para a capitalista apresenta como característica:
A - a expansão ultramarina, estabelecendo rotas comerciais no Mediterrâneo;
B - a relação essencial entre o poder do Estado e a sociedade feudal;
C - o sistema de exploração colonial, fundamentado na pequena propriedade;
D - a formação das Monarquias Nacionais, instituindo-se um poder forte e centralizado;
E - o índice de riqueza da classe dominante, medido pela quantidade de propriedade de terras.

Questão 21: (UEMS) O senhor feudal podia possuir mais de um feudo. Em troca dos serviços dos servos, dava-lhes terras de arrendamento vitalício. Os poderes exercidos pelos senhores feudais eram:
A - judiciais, executivos e legislativos;
B - judiciais e militares sobre seu domínio;
C - judiciais, legislativos e militares sobre seu feudo;
D - judiciais e militares feudais mercenários;
E - jurídicos e administrativos de seu domínio.

Questão 22: (UNEMAT/MT) Durante o período feudal (século X ao XIII), a vida na maior parte da Europa Ocidental caracterizou-se por ser essencialmente agrária. Sobre o
feudalismo, julgue os itens:
A - Mesmo com a auto-suficiência dos senhorios, em alguns lugares, havia feiras que se desenvolveram nas proximidades dos castelos medievais. Quando novas técnicas permitiram melhor aproveitamento das terras e as trocas de mercadorias se tornaram mais efetivas, os lugares de transações comerciais foram-se transformando em cidades.
B - O controle do tempo era um aspecto constituidor do poder teológico da Igreja, ou seja, o tempo era concebido como atividade religiosa, envolvendo um ritual litúrgico intenso, no qual se celebrava o drama do Salvador.
C - A idealização da sociedade dividida entre “os que rezam”, “os que guereiam” e “os que trabalham” era justificada como um ordenado sagrado conferido ao clero, que se consagrava como intermediário entre
Deus e as pessoas.
D - A estrutura política do feudalismo se caracterizava por uma centralização do poder na figura do rei e este mantinha um controle rígido sobre a propagação da fé e da expansão das atividades mercantis.
E - Assim como os escravos, os servos eram as mercadorias mais valiosas que os senhores dispunham em seus feudos e, por isso, eram agregados à terra.

Questão 23: (UEPG/PR) Sobre o Mundo Feudal, assinale o que for correto:
1 - Nas atividades econômicas, a influência da Igreja impôs princípios que condenavam a especulação e a usura, bem como gerou a idéia de justo preço.
2 - O Feudalismo foi um complexo sistema sóciopolítico-econômico, que caracterizou parte da Europa Ocidental durante um período da Idade Média.
4 - Os servos estavam ligados à terra sob a dependência do proprietário, e suportavam duras tributações em espécies e eventualmente os trabalhos de corvéia.
8 - O sistema feudal estruturou-se, paulatinamente, a partir das sociedades romanas e germânicas, cuja fusão e transformação se processaram ao longo da Idade Média.
16 - O Feudalismo, politicamente, caracterizou-se pela relação direta entre a soberania e a posse do feudo e a fragmentação do poder central.
SOMATÓRIA ( )

Questão 24: (UFPR) "(...) Na sexta-feira (7 de abril) foram de novo prestadas homenagens ao conde, as quais eram feitas por esta ordem, em expressão de fidelidade e garantia. Primeiro prestaram homenagem desta maneira: o conde perguntou (ao vassalo) se ele desejava tornar-se o seu homem, sem reservas, ele respondeu: Quero; então, tendo juntas as mãos, colocou-as entre as mãos do conde e aliaram-se por beijo. Em segundo lugar, aquele que havia prestado homenagem jurou fidelidade ao porta-voz do conde, com estas palavras: Comprometo-me por minha fé a ser fiel daqui por diante ao conde Guilherme e a cumprir integralmente a minha homenagem, de boa-fé e sem dolo, contra todos; e, em terceiro lugar, jurou o mesmo sobre as relíquias dos santos." (Galberto Brugense. Vita Karoli Comitis Flandriae. Monumenta Germanica Historica. Scriptores, apud PEDRERO-SÁNCHEZ, M. G. história da Idade Média. São Paulo: editora da UNESP, 2000. p. 96.) As relações feudo-vassálicas representam o sistema feudal, caracterizando-se pela vinculação pessoal entre um senhor e seu vassalo. Ainda que haja inúmeras variantes regionais da aplicação desse modelo sociopolítico, os elementos que as compõem e a natureza das vinculações mantêm-se as mesmas. Sobre esse modelo, é correto afirmar:
1 - As relações feudo-vassálicas explicam as intensas atividades comerciais estabelecidas entre senhores feudais e a aristocracia guerreira.
2 - O vínculo vassálico que une um senhor a seu vassalo constitui uma iniciativa de estruturação, controle e unidade dos grupos privilegiados.
4 - O senhor cobra do vassalo fidelidade e serviço e oferece em troca proteção e benefício.
8 - O feudo constitui um dos elementos fundamentais da relação feudo-vassálica e materializa o benefitium que o senhor oferece ao vassalo em troca de sua fidelidade.
16 - As relações feudo-vassálicas envolvem um senhor, que é sempre poderoso, de preferência um conde, e um vassalo, servo de seu senhorio.
SOMATÓRIA ( )

Questão 25: (UNICAP/PE) Na Idade Média, o processo de produção predominante teve uma estrutura socioeconômica que se convencionou chamar de Modo de Produção Feudal, e que se caracterizou pelos fatores abaixo assinalados: Quais estão incorretas?
A - economia agrária, não-comercial, auto-suficiente e totalmente monetária;
B - a propriedade feudal pertencia a uma camada privilegiada, composta pelos senhores feudais;
C - a principal unidade econômica era o feudo, dividido em domínio, manso comunal e manso servil;
D - a principal técnica utilizada era o sistema de três campos, que evitava o esgotamento do solo;
E - o desenvolvimento técnico foi relevante no que refere ao aumento da produtividade.

Questão 26: (UNICAP/PE) No feudalismo, a posse da terra era o critério de diferenciação entre os grupos: os servos, não proprietários, serviam ao senhor e pagavam-lhe vários tributos, dos quais assinalamos os principais: Quais estão incorretos?
A - 1- talha, porcentagem da produção das tenências;
B - 2- mão morta, tributo cobrado por morte nas famílias dos servos;
C - 3- capitação, imposto cobrado por cada membro da família servil;
D - 4- tostão de Pedro, imposto pago à Igreja para manutenção da basílica de São Pedro;
E - 5- banalidade, tributo cobrado pelo uso de qualquer instrumento ou bem pertencente ao senhor.

Questão 27: (UNESP/SP) A fim de satisfazer as necessidades do castelo, os comerciantes começaram a afluir à frente da sua porta, perto da ponte: mercadores, comerciantes de artigos caros e, depois, donos de cabaré e hoteleiros que alimentavam e hospedavam todos aqueles que negociavam com o príncipe (...) Foram construídas assim casas e instalaram-se albergues onde eram alojados os que não eram hóspedes do castelo (...) As habitações multiplicaram-se de tal sorte que foi logo criada uma grande cidade. (Jean Long, cronista do século XIV.) De acordo com o texto, o nascimento de algumas cidades da Europa resultou da:
A - transformação do negociante sedentário em comerciante ambulante;
B - oposição dos senhores feudais à instituição do mercado no seu castelo;
C - atração exercida pelos pregadores religiosos sobre a população camponesa;
D - insegurança provocada pelas lutas entre nobres feudais sobre a atividade mercantil;
E - fixação crescente de uma população ligada às atividades mercantis.

Questão 28: (ESPM/SP) A sociedade feudal era essencialmente agrária, sendo a terra principal fonte de riquezas. Além de criar o produto necessário à própria subsistência e à de suas famílias, os camponeses eram obrigados a realizar tarefas suplementares para o senhor. Entre os tributos que os servos pagavam ao senhor feudal estava a corvéia, que consistia em:
A - tributo cobrado pelo uso de instrumentos ou bens do senhor, como o moinho, o forno, o celeiro, as pontes;
B - imposto pago por cada membro da família servil, por cabeça;
C - imposto pago à Igreja, utilizado para a manutenção da capela local;
D - trabalho gratuito nas terras do senhor, ou seja, no manso senhorial, em alguns dias da semana;
E - porcentagem da produção da tenência, ou seja, uma parte do que tivesse sido produzido no manso servil.

Questão 29: (UFRGS) Leia o texto: "Tão grande era o número de mortos que, escasseando os caixões, os cadáveres eram postos em cima de simples tábuas. Não foi um só o caixão a receber dois ou três mortos simulta neamente. Também não sucedeu uma vez apenas de esposa e marido, ou dois e três irmãos, ou pai e filhos, serem enterrados no mesmo féretro [...]. Para dar sepultura à grande quantidade de corpos que se encaminhavam a qualquer igreja, todos os dias, quase toda hora, não era suficiente a terra já sagrada; e menos ainda seria suficiente se se desejasse dar a cada corpo um lugar próprio, conforme o antigo costume. Por isso passaram-se a edificar igrejas nos cemitérios, pois todos os lugares estavam repletos, ainda que alguns fossem muito grandes; punham-se nessas igrejas, às centenas, os cadáveres que iam chegando; e eles eram empilhados como as mercadorias nos navios [...]." (BOCCACCIO, Giovanni. Decamerão. São Paulo: Abril, 1981.) O testemunho do escritor italiano Boccaccio faz referência ao advento da Peste Negra na Europa Ocidental, a qual acelerou a crise do sistema feudal dos séculos XIV e XV. Assinale, entre as alternativas abaixo, o fator ao qual essa crise pode ser relacionada:
A - Nos séculos XIV e XV, a economia européia tornou-se predominantemente urbana, o que acarretou falta de trabalhadores no campo para a produção agrícola. Sem boas condições de alimentação, a população ficou mais sujeita às doenças.

B - O crescimento demográfico afirmou-se ao longo da Baixa Idade Média até um ponto em que a produção do sistema feudal não foi mais capaz de alimentar a população, que ficou fragilizada.
C - As técnicas de produção eram muito desenvolvidas para a época, a ponto de provocarem uma su per produção que gerou o desequilíbrio do sistema.
D - A servidão, instaurada como forma predominante de trabalho na Europa Ocidental a partir do século XV, enfraqueceu a população e levou à mortalidade endêmica.
E - Como resultado da mortalidade provocada pela Peste Negra, os nobres decretaram leis para auxiliar a população camponesa.

Questão 30: (UFSC/SC) Assinale a(s) proposição(ões) correta(s) nas suas referências às características do sistema feudal:
1 - A sociedade feudal era agrária, sendo a terra a principal fonte de riqueza.
2 - Na Alta Idade Média, a produção econômica do feudo, além de entender à subsistência, destinava-se ao mercado externo, principalmente o asiático.
4 - Os camponeses, além de produzirem o seu próprio sustento, eram obrigados a executar tarefas suplementares para o senhor e entregar-lhe parte da produção.
8 - Na maior parte da sua existência na Europa Ocidental, o feudalismo ligou-se a formas de governo caracterizadas pela descentralização política.
16 - Na sociedade feudal, a realeza, a nobreza e a burguesia constituíam-se nas classes superiores. Os vilões constituíam as camadas mais baixas. Era grande a mobilidade social.
SOMATÓRIA ( )

Questão 31: (PUC-MG) A crise do feudalismo na Europa ocidental do início dos Tempos Modernos tem relação com, exceto:
A - o fechamento do Mediterrâneo oriental, seguido da invasão da Península Ibérica pelos muçulmanos;
B - o declínio da autoridade política da nobreza e o gradativo fortalecimento do poder real;
C - o interesse dos burgueses pela unidade administrativa para atender à expansão e dinamização do comércio;
D - as precárias condições sociais de trabalho nos campos provocando o êxodo rural e revoltas camponesas.

Questão 32: (UEFS/BA) Réveillon de 999. Muitos europeus aguardavam o apocalipse. (...) O réveillon passou. O apocalipse não veio, mas a população só se acalmou em 1033, mil anos após a morte de Jesus Cristo. Esse "terror milenar" era uma expressão do caos político que se seguiu à desagregação do Sacro Império de Carlos Magno. (...).
Forte religiosidade, decadência da autoridade central, invasões, declínio do comércio e da vida urbana. O feudalismo que surgia dessa crise não era um sistema elaborado por alguma teoria, mas uma resposta improvisada à falta de uma autoridade central eficiente. As práticas daí surgidas não eram uniformes, diferiam de localidade para localidade e, em certas regiões, não chegaram a criar raízes firmes. (Campos & Miranda, p. 68) Tomando como referência o texto aliado aos conhecimentos sobre o feudalismo, pode-se afirmar:
A - A desagregação do Império Romano, ao criar um clima de instabilidade espiritual, contribuiu para o reforço da religiosidade e do poder da Igreja Católica, única instituição de caráter universalista na Época Medieval.
B - O poder da Igreja Católica só se consolidou no século XI, devido às perseguições empreendidas pelos reinos bárbaros germânicos aos cristãos, o que contribuiu para a homogeneidade de doutrina e de dogmas entre os cristãos medievais.
C - O aparecimento do Reino Franco de Carlos Magno atrasou a consolidação do feudalismo, na medida em que prolongou a atividade comercial e urbana, com a submissão dos grandes proprietários rurais à autoridade real.
D - O feudalismo, concebido pela Igreja Católica, implantou-se de forma homogênea, estabelecendo as mesmas obrigações feudo-vassálicas e uma sociedade hierarquizada e dividida em castas, por toda a Europa Medieval.
E - O Período Medieval desconheceu a utilização da moeda no comércio, que se baseou no sistema de trocas e se restringiu às áreas internas dos feudos, fruto da condenação, pela Igreja, de qualquer atividade econômica que produzisse lucro.

Questão 33: (Unibahia/BA) Os homens, com o trabalho, transformam a natureza, da qual extraem bens necessários à sobrevivência. Ao mesmo tempo estabelecem relações entre si, originando vínculos econômicos, sociais, políticos e ideológicos. Na Idade Média, o processo de produção predominante " o feudal " teve relações sociais e uma ordem política e cultural específicas. (Vicentino, p. 107) A análise do texto, aliada aos conhecimentos sobre o sistema feudal, permite afirmar:
A - A sociedade se dividia em três classes distintas, que apresentavam grande mobilidade social.
B - A formação do feudalismo teve suas origens no sistema escravista de produção herdado dos invasores bárbaros.
C - O modo de produção baseava-se na posse da terra, na economia agrária, no sistema de servidão e no pagamento de diversos tributos pelos camponeses.
D - O sistema político era centralizado na figura do Rei, representante dos poderes político, administrativo, militar e judicial, independente do poder da Igreja.
E - O desenvolvimento do sistema feudal se deveu à ação da Igreja Católica, instituição rica e poderosa, que manteve a integridade dos reinos após as invasões na Europa Ocidental.

Questão 34: (UESC/BA) É importante notar que os senhores feudais não tinham a propriedade absoluta de suas terras. A maior parte delas eram doações feitas pelo rei ou por nobres mais poderosos, que, em troca, recebiam auxílios em épocas de conquistas. Havia também doações feitas com o objetivo de estabelecer laços de fidelidade e aumentar o poder. As doações poderiam ser retiradas, caso o recebedor desses benefícios não cumprisse o juramento e as obrigações para com o doador. Por isso, vínculos e relações, bastante personalizados, também se estabeleciam entre os membros da nobreza. (Cáceres, p. 123) As relações de fidelidade referidas no texto organizaram-se:
A - da prática do comitatus, herdada dos germanos;
B - do beneficium cultivado nos mosteiros e conventos;
C - do colonato, herdado das relações de trabalho entre gregos.
D - das banalidades, praticadas pela Igreja na cobrança do dízimo;
E - da corvéia, benefício concedido ao vassalo que participava da defesa do feudo.

Questão 35: (UNICAP/PE) O feudalismo era um sistema fundamentalmente agrário. Portanto, a posse da terra era essencial. O dono da terra, o senhor feudal, exercia poder total em sua propriedade. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
A - O senhor concedia privilégios, fazia as leis, declarava a guerra, assinava a paz, só não administrava a justiça.
B - Nas áreas de pastagens, os servos podiam levar seus animais para pastarem e colher frutos silvestres nos bosques.
C - Nos bosques, os servos retiravam madeira para queimar ou fazer suas construções, pois essas terras pertenciam a todos.
D - O manso senhorial pertencia exclusivamente ao senhor feudal e tudo o que aí se produzia pertencia a ele.
E - O manso servil pertencia exclusivamente aos servos, que plantavam e colhiam sem interferência do senhor feudal.

Questão 36: (UNICAP/PE) O desenvolvimento das estruturas políticas, socais, culturais e econômicas do feudalismo pode ser sintetizado em:
A - a decomposição do escravismo antigo deu origem a uma nova ordem de colonos, clientes e precários, que trabalhavam a terra como meeiros;
B - a produção econômica passou a ser auto-suficiente, destinada ao consumo e não à troca;
C - o poder político passou a ser monopólio de um nobre, em todo o território nacional;
D - o sistema passou a ser uma junção de fatores estruturais, os de longa duração e os conjunturais, mais imediatos, com a invasão dos grupos bárbaros;
E - a sociedade se compunha de um modelo estamental, em que a posição do indivíduo se definia pelo patrimônio econômico.

Questão 37: (UFMT) O texto abaixo refere-se a um contexto específico da Idade Média.
Eu, Luís, pela graça de Deus, rei da França, torno público (...) que em Nantes, na nossa presença, o conde Henrique de Champagne concedeu o feudo de Savigny a Bartolomeu, bispo de Beauvais, e seus sucessores. E por esse feudo o mencionado bispo empenhou a palavra e assumiu o compromisso de cavaleiro de servir com justiça ao conde Henrique.
(HUBERMAN, Leo. História da riqueza do homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1982, p. 22:3.) A partir do texto, assinale a(s) alternativa(s) correta(s):
A - O feudo era concedido por um senhor, suserano, a um nobre, vassalo, em troca de obrigações e serviços.
B - A rivalidade entre a Igreja e o Estado originou a exclusão dos clérigos do estamento privilegiado.
C - O rei exercia um papel simbólico, com poderes limitados ao seu próprio feudo.
D - A posição social das pessoas, à época, era definida pela posse ou propriedade da terra, principal expressão de riqueza.

Questão 38: (PUC-RS) No âmbito da vida sociocultural, a sociedade feudal clássica caracterizou-se:
A - pelo patriarcalismo dos senhores, que deveriam defender e sustentar seus escravos;
B - pela predominância de uma atitude laica e humanista diante da vida e do mundo;
C - pelas relações individualistas, geradas pelo desenvolvimento urbano e comercial;
D - pelo sentimento de insegurança e pessimismo diante de invasões e epidemias;
E - pela postura inovadora gerada pelas descobertas científicas e do Novo Mundo.

Questão 39: (UNESP/SP) Há mil anos atrás, em partes da Europa, vigorava o sistema feudal, cujas principais características foram:
A - sociedade hierarquizada, com predomínio de uma economia agrária, que favoreceu intensa troca comercial nos burgos e cidades italianas;
B - fraca concentração urbana, com predomínio da economia agrária sob a organização do Estado monárquico, apoiado pelo clero e pela burguesia;
C - poder do Estado enfraquecido, ritmo de trocas comerciais pouco intenso, uso limitado da economia monetária, predominando uma sociedade agrária;
D - ampliação do poder do Estado, uma sociedade organizada em três camadas - clérigos, guerreiros e trabalhadores - e predomínio da economia rural;
E - intensificação da produção agrícola pelo uso da mão- de-obra de servos e escravos, poder descentralizado e submissão dos burgos ao domínio da Igreja.

Questão 40: (FUVEST/SP) A economia da Europa Ocidental, durante o longo intervalo entre a crise do escravismo, no século III, e a cristalização de feudalismo, no século IX, foi marcada pela:
A - depressão, que atingiu todos os setores, provocando escassez permanente e fomes intermitentes;
B - expansão, que ficou restrita à agricultura, por causa do desaparecimento das cidades e do comércio;
C - estagnação, que só poupou a agricultura graças à existência de um numeroso campesinato livre;
D - prosperidade, que ficou restrita ao comércio e ao artesanato, insuficientes para resolver a crise agrária;
E - continuidade, que preservou os antigos sistemas de produção impedindo as inovações tecnológicas.

Questão 41: (UNESP/SP) Na Idade Média Ocidental, a Igreja Cristã justificava e explicava o ordenamento social. Ao lado dos clérigos, que detinham o conhecimento da leitura e da escrita, um dos grupos sociais da época era constituído por:
A - assalariados, que trabalhavam nas terras dos que protegiam as fronteiras da Europa Medieval das invasões dos povos bárbaros germânicos;
B - usurários, que garantiam o financiamento das campanhas militares da nobreza em luta contra os infiéis muçulmanos;
C - donos de manufaturas de tecidos de algodão, que abasteciam o amplo mercado consumidor das colônias americanas;
D - servos, que deviam obrigações em trabalho aos senhores territoriais que cuidavam da defesa militar da sociedade;
E - escravos, que garantiam a sobrevivência material da sociedade em troca da concessão da vida por parte dos seus vencedores.

Questão 42: (UFES) Os elementos constitutivos fundamentais da sociedade feudal européia estabelecida após a queda do Império Romano do Ocidente (século V) se originaram, da dupla influência dos mundos romano e germânico. Dentre as influências germânicas, podemos destacar:
I. a organização populacional em centros urbanos;
II. a divisão da sociedade em classes, nas quais a elite era representada pelos intelectuais;
III. a importância dos laços de fidelidade pessoal;
IV. a inexistência da noção de "res publica" (coisa pública).
Assinale a opção que contém as afirmativas corretas:
A - I e II
B - I e III
C - II e III
D - II e IV
E - III e IV

Questão 43: (UFPR) A sociedade feudal surgiu na Europa Ocidental após a queda do Império Romano do Ocidente.
Entre as suas principais características, destacam-se:
1 - os “servos da gleba”, que trabalhavam nos campos, cuja produção ia, em parte, para os paióis dos suseranos;
2 - a organização dos povos em “demos”, sendo os reis eleitos democraticamente em assembléia;
4 - a indústria, que se notabilizou pelo uso do carvão como fonte de energia;
8 - o comércio oceânico, realizado por meio das caravelas que ligavam a América e a Índia à Europa;
16 - a cavalaria, que era uma instituição colocada em defesa da religião, da mulher, dos fracos e da lealdade;
32 - o surgimento da burguesia como classe social, que passou a escravizar os servos e os vassalos.
SOMATÓRIA ( )

Questão 44: (PUC-PR) O estudo da sociedade feudal permite afirmar que:
I. os vilões eram em número inferior ao dos servos e deviam ao senhor obrigações menos pesadas que as destes;
II. a escravidão quase desapareceu, pois a Igreja opunha-se a essa instituição. Os poucos escravos existentes destinavam-se a serviços domésticos;
III. os servos estavam fixados à terra, ligados ao senhor, e suportavam dura tributação em espécie, como a talha, e eventualmente os trabalhos da corvéia.
Está correta ou estão corretas:
A - apenas I e III;
B - apenas II e III;
C - I, II e III;
D - apenas III;
E - apenas I.

Questão 45: (UNIOESTE/PR) Sobre a transição do feudalismo para o capitalismo, é correto afirmar:
1 - Os mercados e as feiras medievais, produtos do renascimento comercial da Baixa Idade Média, contribuíram para desestruturar o sistema feudal, disseminando a economia
monetária e a interdependência entre mercados, em substituição à auto-suficiência do feudo.
2 - As cruzadas contribuíram para o renascimento comercial europeu,
reabrindo o Mar Mediterrâneo e retomando o comércio entre o Ocidente e o Oriente.
4 - Portugal, Espanha, França e Inglaterra tiveram suas instituições feudais desestruturadas simultaneamente, o que permitiu, no século XV, igualdade de condições para concorrerem
entre si na expansão marítima.
8 - A política mercantilista se caracterizava pela liberdade de comércio, pequena intervenção
do Estado na economia e restrições à industrialização, principalmente, na França e na Inglaterra.
16 - Os Estados absolutistas da Itália e dos Países Baixos foram os primeiros a serem consolidados,
o que permitiu o florescimento do renascimento cultural e científico em seus domínios.
32 - A busca de novos mercados fornecedores de especiarias e metais preciosos,
o fortalecimento do Estado Nacional, a ascensão da burguesia mercantil, a persistência do ideal das Cruzadas e os aperfeiçoamentos técnicos da navegação foram os principais fatores que contribuíram para a expansão marítima européia.
64 - A imensa quantidade de ouro e de prata proveniente das colônias americanas causou, nos séculos XVI e XVII, uma alta geral dos preços na Europa, prejudicando assalariados e a nobreza feudal e fortalecendo a burguesia mercantil.
SOMATÓRIA ( )

GABARITO:
Questão 1: A) A servidão era uma forma de trabalho que se desenvolveu na Europa Ocidental, durante a Idade Média e que tem suas origens no colonato romano. O camponês era considerado "servo", pois deveria servir a seu senhor, assim como servia a Deus, uma vez que a ideologia predominante considerava que o servo devia obrigações ao dono da terras - o senhor feudal - na medida em que recebera um lote de terra e proteção. As relações de trabalho servis eram costumeiras, baseadas na tradição, e o servo devia tributos ao senhor, normalmente pagos com trabalho, ou com parte da produção. Dessa forma considera-se que o servo não era escravo, mas também não era um homem livre; era um trabalhador "preso a terra".
B) A perda de importância do trabalho servil esta relacionada à perda de importância da agricultura enquanto atividade econômica predominante. Durante a Baixa Idade Média a Europa vivenciou o renascimento urbano e comercial e um constante êxodo rural. Tanto o comércio quanto a produção artesanal contribuíram para a monetarização da economia e gradualmente os próprios senhores feudais foram transformando as obrigações costumeiras em pagamentos monetários.
O século XIV foi marcado por profunda crise, caracterizada pela Guerra dos Cem Anos, pelos efeitos da mortalidade produzida pela Peste Negra e pela grande fome. As grandes revoltas camponesas, apesar de reprimidas, tiveram como efeito uma ampla ruptura nas relações de trabalho servis. - questão 2: C - questão 3: B - questão 4: B - questão 5: E - questão 6: B - questão 7: D - questão 8: B - questão 9: C - questão 10: D - questão 11: C - questão 12: C - questão 13: D - questão 14: A, D, E - questão 15: E - questão 16: D - questão 17: B - questão 18: E - questão 19: C - questão 20: E - questão 21: B - questão 22: A, B, C - questão 23: 31 - questão 24: 14 - questão 25: A, E - questão 26: A, C - questão 27: E - questão 28: D - questão 29: B - questão 30: 9 - questão 31: A - questão 32: A - questão 33: C - questão 34: A - questão 35: B, C, D - questão 36: A, B, D - questão 37: A, C, D - questão 38: D - questão 39: C - questão 40: A - questão 41: D - questão 42: E - questão 43: 17 - questão 44: C - questão 45: 99

Nenhum comentário:

Postar um comentário