quarta-feira, 20 de julho de 2011

Atividades de História do Brasil - Invasões Estrangeiras

Questões de Vestibular: História - Brasil - Invasões Estrangeiras

Questão 1: (UPE) A exploração das terras brasileiras pela Coroa Portuguesa exigia investimentos expressivos. Portugal conseguiu aliados para explorar a Colônia, com destaque inicial para a Holanda, que:
A - se interessou pelo rico comércio do pau-brasil, nas regiões do Norte e Nordeste;
B - financiou a exploração das minas no Oeste da Colônia, conseguindo lucros excepcionais;
C - vendeu muitos navios de guerra para proteger o litoral do Brasil, reforçando as tropas portuguesas;
D - teve papel importante no comércio do açúcar, obtendo bons lucros;
E - estreitou as relações de Portugal com a Espanha, favorecendo o comércio de ouro e prata.

Questão 2: (UPE) A presença holandesa no Brasil colônia causa, até hoje, polêmicas entre historiadores. As controvérsias se localizam, sobretudo, em relação à atuação de Maurício de Nassau, que dirigiu os empreendimentos da Companhia das Índias Ocidentais no Brasil. Nassau conseguiu destacar-se, mas terminou sendo demitido em 1643. Com relação ao seu governo, é correto afirmar que:
A - procurou restabelecer a produção do açúcar, mas fracassou devido à falta de recursos.
B - teve cuidados especiais com o Recife, onde fixou sua residência, melhorando suas condições.
C - apesar do empenho, não conseguiu aumentar os domínios territoriais dos holandeses.
D - reconstruiu a cidade de Olinda, onde pretendia se instalar
E - não conseguiu estabelecer boas relações com os grandes proprietários que tramavam, desde o início, sua expulsão.

Questão 3: (UFPE) Considerando a presença estrangeira no Brasil colonial, assinale a alternativa correta.
A - Os franceses conseguiram fundar a França Antártica no Rio de janeiro, o que constituiu uma ameaça para o poder dos portugueses.
B - A presença holandesa no Brasil está relacionada com a produção do açúcar, não tendo, assim, nenhum conteúdo político.
C - O domínio holandês em Pernambuco contribuiu para recuperar, definitivamente, a economia açucareira e diminuir a escravidão.
D - As capitanias hereditárias em algumas regiões contribuiu para a ocupação das terras brasileiras, garantindo mais proteção contra estrangeiros.
E - A presença de europeus no território do Brasil está apenas relacionada com motivos religiosos e políticos.

Questão 4: (PUC-RS) As invasões holandesas no Brasil, no século XVII, estavam relacionadas à necessidade de os Paí ses Baixos manterem e ampliarem sua hegemonia no comércio do açúcar na Europa, que havia sido interrompido:
A - pela política de monopólio comercial da Coroa portuguesa, reafirmada em represália à mobilização anti-colonial dos grandes proprietários de terra;
B - pelos interesses ingleses que dominavam o comércio entre o Brasil e Portugal;
C - pela política pombalina, que objetivava desenvolver o beneficiamento do açúcar na própria Colônia, com apoio dos ingleses;
D - pelos interesses comerciais dos franceses, que estavam presentes no Maranhão, em relação ao açúcar;
E - pela guerra de independência dos Países Baixos contra a Espanha, e seus conseqüentes reflexos na Colônia portuguesa, devido à União Ibérica.

Questão 5: (UFBA) OBSERVE O DIAGRAMA
(SILVA & BASTOS, p. 52) A análise do esquema e os conhecimentos sobre o Brasil colonial permitem concluir:
1 - O episódio registrado em A só se tornou possível a partir de mudanças da política holandesa em relação à produção dos grandes proprietários de engenhos e às suas dívidas para com a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais.
2 - B articula-se à política internacional do século XVI, visto que se constituiu mais um fator de derrota para a Holanda, que já estava enfraquecida com seu envolvimento na guerra comercial contra a Inglaterra de Cromwell.
4 - B e D estão articulados por causa dos prejuízos que incidiram sobre o comércio colonial brasileiro, dependente, até o início do século XVIII, do preço das exportações do açúcar.
8 - B e D estão articulados por causa dos prejuízos que incidiram sobre o comércio colonial brasileiro, dependente, até o início do século XVIII, do preço das exportações do açúcar.
16 - A criação do Estado do Maranhão relaciona-se com E, em razão de ser ele destinado à produção do açúcar em larga escala, o que levou à superação da referida crise.
32 - F refere-se ao apoio tecnológico para a exploração de minas de ouro, prestado pela Inglaterra à Portugal, levando o país a superar a concorrência indicada em D.
SOMATÓRIA (_____)

Questão 6: (PUC-RS) Responder à questão com base nas afirmativas abaixo, sobre o contexto do século XVII no Brasil Colonial.
I. A União Ibérica provocou a interrupção do comércio de cana-de-açúcar entre o Nordeste brasileiro e a Holanda.
II. As invasões holandesas na Bahia e em Pernambuco foram provocadas pela necessidade de os holandeses recuperarem os capitais investidos na lavoura de cana-de-açúcar, mantendo o comércio do açúcar.
III. A expansão territorial do século XVII foi ocasionada, inicialmente, pela descoberta de minas de ouro no sul do Brasil.
IV. O ciclo bandeirante de apresamento ao índio contou com o apoio dos jesuítas nas Missões do Guairá e do Tape, no sul do Brasil.
A análise das afirmativas permite concluir que somente são corretas:
A - I e II
B - I e III
C - II e III
D - II e IV
E - III e IV

Questão 7: (UFF/RJ) O domínio holandês no Brasil, sobretudo no governo de Maurício de Nassau, foi marcado por grande desenvolvimento cultural e artístico. Tal processo pode ser relacionado a características peculiares da República das Províncias Unidas no século XVII. Relativamente a este momento histórico é incorreto afirmar:
A - A assimilação da arte, identificada mais fortemente na produção artística de Rembrandt, testemunhou o poderio da burguesia holandesa do período.
B - Os holandeses viviam numa república descentralizada que encorajava não só a eficiência econômica, como também o florescimento das artes e ciências.
C - O calvinismo foi o fator determinante para o desenvolvimento do capitalismo holandês.
D - A cultura holandesa era mais receptiva às inovações, assim como aos elementos estrangeiros.
E - A inexistência de uma corte contribuiu para que a burguesia holandesa não assimilasse, mais efetivamente, o consumismo exacerbado ditado pelos padrões culturais europeus.

Questão 8: (PUC-MG) O ideário iluminista dos inconfidentes mineiros tinha algumas limitações, entre as quais podemos citar, exceto:
A - a participação de pessoas voltadas mais para seus interesses do que para os do povo;
B - a abolição da cobrança de dízimos e liberdade para a extração de diamantes;
C - a oposição manifestada por muitos conjurados contra o fim da escravidão;
D - a preservação da estrutura econômica e da ordem social vigentes.

Questão 9: (PUC-MG) Analise as informações fornecidas pelo mapa abaixo reproduzido. As áreas destacadas indicam:

A - os focos de tensão da Guerra dos Mascates no século XVIII;
B - a extensão máxima do cultivo da cana no século XVI;
C - a ocupação holandesa, no Brasil, durante o século XVII;
D - as regiões integrantes da Confederação do Equador no século XIX.

Questão 10: (UFPR) No período compreendido entre os anos de 1624 e 1654, o Brasil Colônia foi alvo de duas tentativas de conquista por parte da Companhia das Índias Ocidentais, importante empresa mercantil dos Países-Baixos (Holanda). Sobre a conjuntura do domínio holandês no Brasil, é correto afirmar que:
1 - a ocupação holandesa se fez sem resistência de qualquer espécie;
2 - a invasão foi decidida principalmente em função dos lucros que poderiam ser auferidos pela Companhia das Índias Ocidentais com a exploração do açúcar, então a principal riqueza do Brasil;
4 - o ataque à colônia era uma tentativa dos Países-Baixos de atingir a Espanha, país com o qual travou uma guerra prolongada, uma vez que, com a União Ibérica, o reino de Portugal e todas as suas colônias haviam passado ao domínio do imperador espanhol Filipe II;
8 - com a saída dos holandeses do Nordeste brasileiro, a economia açucareira atinge o apogeu no Brasil;
16 - Maurício de Nassau havia desenvolvido política de financiamento e reconstrução de engenhos.
Com o fim de seu governo, os latifundiários endividados foram cobrados, crescendo a incompatibilidade entre os interesses dos produtores e o ocupante holandês.
SOMATÓRIA (_____)

Questão 11: O ataque da Holanda ao Brasil foi conseqüência da ruptura nas relações amistosas entre Portugal e os holandeses. A modificação das relações entre os dois países foi determinada por qual dos fatores abaixo relacionados?
A - As lutas entre a Holanda e a Inglaterra fizeram com que os holandeses atacassem as colônias de Portugal, tradicional aliado da Inglaterra.
B - A intenção da Holanda era o ataque às colônias espanholas e para isso precisava de um ponto de apoio na América, no caso o Brasil.
C - A Holanda tinha pretensões específicas sobre a Colônia de Sacramento, ponto estratégico para seu comércio na América; para conquistá-la aos espanhóis buscaram, primeiramente, um ponto de apoio no Brasil.
D - A unificação política da Península Ibérica sob o domínio espanhol motivou o fechamento das colônias espanholas e portuguesas ao comércio holandês, na ocasião inimigo da Espanha.
E - O Brasil determinou unilateralmente o fim do acordo de transporte e refino do açúcar que era incumbência dos comerciantes holandeses.

Questão 12: (PUC-PR) Uma das principais conseqüências da União Ibérica (1580 - 1640) para o Brasil foi:
A - a decadência do bandeirantismo como atividade de penetração, já que o Tratado de Tordesilhas deixou de funcionar;
B - o desenvolvimento da economia mineratória, aproveitando-se os brasileiros da experiência espanhola nesse setor;
C - a formação da Companhia Geral do Comércio de Pernambuco, por determinação direta de Filipe II;
D - a eclosão de vários movimentos nativistas de tendência emancipadora, como a Guerra dos Emboabas;
E - a invasão holandesa do Nordeste e a posterior decadência da cultura canavieira brasileira, com a fixação dos holandeses nas Antilhas.

Questão 13: (UAM/SP) Segundo se pôde concluir das poucas e suspeitas notícias encontradas a respeito nos escritos contemporâneos, Calabar exercia a profissão de contrabandista; nem de outro modo se podem explicar os roubos feitos à fazenda real de que o acusam os nossos ... Era o único homem capaz de se medir com Matias de Albuquerque; e como tinha sobre este a vantagem de dispor do mar, desfechou-lhe os golpes mais certeiros. Qual móvel o levou a abandonar os compatriotas, nunca se saberá; talvez a ambição ou a esperança de fazer mais rápida carreira entre os estranhos, tornando-se pela singularidade de seus talentos indispensável aos novos patrões ou, talvez, o desânimo, a convicção da vitória certa e fácil do invasor. (ABREU, Capistrano. Capítulos da História Colonial.) O texto trata:
A - da Revolução Praieira;
B - da Revolução dos Alfaiates;
C - da Balaiada;
D - da Invasão Holandesa;
E - da Revolução Pernambucana de 1817.

Questão 14: (FIC/PR) As invasões sofridas pelo Brasil no século XVII, primeiro na Bahia (1624 - 1625) e depois no Nordeste (1630 -1654), devem ser entendidas como:
A - um reflexo direto da crise européia motivada pela ocorrência de conflitos religiosos gerados pela reforma;
B - uma tentativa de manutenção dos interesses açucareiros pela Holanda depois da união das Coroas Ibéricas;
C - uma disputa entre imperialismo inglês e batavo - a fim de controlar o transporte marítimo no Atlântico;
D - um reflexo da guerra civil das colônias americanas, o que determinou um grande afluxo de imigrantes estrangeiros;
E - um conflito para superar a crise comercial gerada pelo colapso de produção de açúcar nas Antilhas.

Questão 15: (PUC-PR) Em 1711, Duguay-Trouin, com poderosa esquadra, tomou a cidade de (do):
A - Rio de Janeiro;
B - São Salvador;
C - São Vicente;
D - São Luís do Maranhão;
E - Recife.

GABARITO:
questão 1: D - questão 2: B - questão 3: D - questão 4: E - questão 5: 15 - questão 6: A - questão 7: C - questão 8: B - questão 9: C - questão 10: 22 - questão 11: D - questão 12: E - questão 13: D - questão 14: B - questão 15: A

Nenhum comentário:

Postar um comentário