quarta-feira, 20 de julho de 2011

Atividades de História do Brasil - Ocupação Territorial

Questões de Vestibular: História - Brasil - Ocupação Territorial

Questão 1: (FUVEST/SP) As interpretações históricas sobre o papel dos Bandeirantes nos séculos XVII E XVIII apresentavam, de um lado, a visão desses paulistas como heróis e, de outro, como vilões. A partir dessa afirmação, discorra sobre
a) Os bandeirantes como heróis, ligando-os a questão das fronteiras.
b) Os bandeirantes como vilões, ligando-os a questão dos índios.

Questão 2: (UNICAMP/SP) O aprisionamento de indígenas pelos bandeirantes foi uma forma de obter mão-de-obra para a lavoura e para o transporte. No litoral, o preço dos indígenas era bem menor que o dos escravos negros – o que interessava aos colonos menos abonados. O sistema de apresamento consistia em manter boas relações com uma tribo indígena e aproveitar seu estado de guerra quase permanente com seus adversários, para convencê-la a lhes ceder os vencidos, os quais costumeiramente eram devorados em rituais antropofágicos. (Adaptado de Laima Mesgravis (Org.). História da cidade de São Paulo: a cidade colonial, 1554-1822. São Paulo: Paz e Terra, 2004. vol. 1.p. 117.)
a) O que foram as bandeiras?
b) Por que o aprisionamento dos indígenas interessava aos bandeirantes e aos colonos?
c) O que eram rituais antropofágicos?

Questão 3: (UFSC/SC) “Sempre foi crença do povo hospitaleiro desta ilha dos famosos bois-de-mamão que, na sexta-feira santa, não se deve tomar instrumentos de trabalho para usá-los, seja para qual finalidade for. É também costume tradicional dos descendentes de colonos açorianos, na sexta-feira santa, a partir de zero hora, banharem-se nas ondas do mar, levando consigo animais domésticos, para se purificarem e protegerem de todos os males do corpo físico e espiritual.” CASCAES, Franklin. Vassoura bruxólica. In: O fantástico na Ilha de Santa Catarina. Florianópolis: UFSC, 2003, p. 63. Sobre o texto acima, os açorianos e seus costumes na Ilha de Santa Catarina, é correto afirmar que:
1 - o texto acima trata da sexta-feira santa, período de realização da Farra do Boi, costume comum entre os povos do Mediterrâneo e que consiste na perseguição de bois em locais abertos;
2 - a Farra do Boi é uma prática legal e apoiada por toda a população catarinense;
4 - Cascaes se refere às práticas de proteção e purificação que acontecem, principalmente, em momentos considerados especiais, como a Sexta-Feira Santa;
8 - os curandeiros e as benzedeiras tiveram papel importante de cura e proteção, pois ofereciam uma explicação para as doenças e sua cura dentro do universo de crenças da população da Ilha de Santa Catarina;
16 - com a popularização da medicina científica, os curandeiros e benzedeiras desapareceram totalmente;
32 - Franklin Cascaes foi responsável por recolher várias histórias sobre os costumes açorianos.
SOMATÓRIA (_____)

Questão 4: (UNIFOR/CE) Observe o mapa:
J. Jobson Arruda. Atlas Histórico. São Paulo: Ática, 1997, p. 39.
Sobre o devassamento do território da Colônia, expresso no mapa, é correto afirmar que:
A - as bandeiras de caça ao índio se dirigiram às missões religiosas do Nordeste açucareiro para aprisionar os índios catequizados, a fim de enfrentar a concorrência com os holandeses que controlavam o tráfico negreiro;
B - as bandeiras tiveram origem na Capitania de São Vicente, mais precisamente na Vila de Piratininga, a mais próspera da Colônia no início da colonização e com produção voltada para o mercado externo, o que atraía os capitais mercantis para a região;
C - os bandeirantes fundaram à margem direita do estuário platino a Colônia do Sacramento, com o objetivo de ampliar a fronteira portuguesa no sul do continente e garantir o comércio de tabaco, algodão e açúcar para a região;
D - os bandeirantes introduziram a pecuária no interior do Nordeste, utilizando o Rio São Francisco como via de penetração. A presença do gado mudou a paisagem do Sertão Nordestino, atraindo o interesse de habitantes paulistas;
E - as bandeiras de sertanismo de contrato, responsáveis pela captura de negros aquilombados e índios resistentes à colonização, estavam a serviço dos grandes proprietários, senhores de engenho do Nordeste e autoridades coloniais.

Questão 5: (UFMG) Em 2004, a Escola de Samba Mangueira, em sintonia com as políticas de recuperação do eixo turístico mineiro, escolheu como enredo a Estrada Real. É correto afirmar que essa Estrada era um conjunto de caminhos que ligava Minas Gerais:
A - às capitanias de São Paulo e Rio de Janeiro e, por eles, chegavam as mercadorias destinadas ao consumo da população e escoavam os impostos cobrados sobre a produção aurífera;
B - às capitanias do sul do Brasil, de onde chegava a carne seca, base da alimentação dos escravos, e, por eles, circulavam os tropeiros, responsáveis por todo o comércio interno, com suas tropas de muares;
C - ao Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo e, por eles, as safras de café produzidas nesses estados escoavam até o porto de Santos, para serem exportadas;
D - à Bahia e, por eles, também conhecidos como Caminho Velho, desciam as tropas de gado e os escravos que abasteciam as populações ocupadas na exploração aurífera e diamantífera.

Questão 6: (PUC-MG) “Eles foram os piratas do sertão (...) Eram grupos para-militares rasgando a mata e caçando homens – para além da lei e das fronteiras; para aquém da ética. À sua passagem, restava apenas um rastro de cidades devassadas; velhos, mulheres e crianças passados a fio de espada, altares profanados, sangue, lágrimas e chamas. Incendiados pela ganância e em nome do avanço da civilização, escravizaram índios aos milhares”. História do Brasil, 2 ed. São Paulo: Empresa Folha da Manhã e Zero Hora/RBS Jornal, 1997. p. 41. O trecho faz referência a empreendimento de caráter privado, oriundo da região de São Paulo, no século XVII, que se relaciona com:
A - a ampliação da agricultura;
B - a expansão da pecuária;
C - as entradas oficiais de caráter exploratório;
D - o movimento bandeirante.

Questão 7: (PUC-RS) Entre os fatores que contribuíram, a partir do século XVII, para a expansão territorial da colonização portuguesa no Brasil, ultrapassando os limites de Tordesilhas, é correto apontar:
A - a pecuária, a extração das “drogas do sertão” e as expedições bandeirantes;
B - as capitanias hereditárias, as expedições bandeirantes e a invasão holandesa;
C - os engenhos de açúcar, a extração das “drogas do sertão” e a fundação da França Antártica;
D - a pecuária, a Insurreição Pernambucana e a criação dos Governos Gerais;
E - os Governos Gerais, a União Ibérica e os engenhos de açúcar.

Questão 8: (UNEMAT/MT) Em 1500, ao chegarem no litoral brasileiro, os portugueses toparam com povos até então desconhecidos, eles diferem bastante dos africanos e
asiáticos. Julgue os itens:
A - Estima-se que o povoamento do Brasil tem ocorrido entre 15000 e 12000 antes de Cristo, e os seus primeiros habitantes viviam da caça e da colheita.
B - Na época do “Descobrimento”, os povos indígenas que habitavam nosso litoral pertencem a uma típica civilização agrícola ameríndia, como os incas e os astecas.
C - Entre os povos indígenas encontrados pelos portugueses destacam-se os pertencentes ao tronco tupy e ao tronco macro-jê.
D - Quando a colonização chegou a Mato Grosso, a maior parte da população indígena era constituída por índios do tronco tupy, como os tupinambás, tupiniquins e amoirés.

Questão 9: (UPE) Conquistar a terra era uma grande aventura que envolvia muitas surpresas e frustrações. A expedição de Martim Afonso não foge desse quadro.
Sobre ela, pode-se afirmar que:
A - foi uma iniciativa independente da Metrópole, sem ajuda de particulares, visando expulsar os rivais estrangeiros;
B - deu início ao bem-sucedido sistema de capitanias hereditárias, centralizando a administração e descobrindo as minas de ouro do Sudeste;
C - introduziu o sistema de “plantation” na colônia, com a importação de escravos e o comércio com a Holanda e com a Espanha;
D - se preocupou apenas com a lavoura açucareira em São Vicente, não se interessando com a descoberta do ouro no Oeste de Minas;
E - foi importante para começar a fixar as bases da colonização, embora não tenha concretizado alguns objetivos planejados.

Questão 10: (UFSCAR/SP) Sobre a história da urbanização no Brasil, é correto afirmar que:
A - as vilas e as cidades, no período colonial, contribuíram para criar uma tradição de vida urbana desde o século XVII;
B - as descrições dos viajantes da primeira metade do século XIX mostram um quadro de intenso crescimento da vida nas cidades; da época.
C - a urbanização no final do século XIX decorreu da concentração de capitais em áreas com economia em expansão e da formação, mesmo incipiente, de um mercado interno;
D - no final do século XIX, por conta da abolição, os setores médios urbanos da população cresceram e ameaçaram a visão de mundo da aristocracia rural brasileira;
E - as principais capitais brasileiras, no final do século XIX, já eram modernas, com espaços ordenados, uniformes e divididos segundo segmentos sociais.

Questão 11: (UNIMONTES/MG) Acerca da colonização do Norte do Brasil (incluindo o Maranhão), é correto afirmar que:
A - se caracterizou pelo predomínio da mão-de-obra negra africana, prescindindo do trabalho indígena;
B - se caracterizou pelo estilo “colônia de povoamento”, em virtude da ação catequética dos jesuítas;
C - se caracterizou pela atuação de padres jesuítas em atividades econômicas como o algodão e a pecuária;
D - se caracterizou pelo predomínio da mão-de-obra assalariada, em virtude da resistência jesuítica à escravização do índio.

Questão 12: (UFBA) (...) a descoberta da América, ou melhor, a dos americanos, é sem dúvida o encontro mais surpreendente de nossa história. Na “descoberta” dos outros continentes e dos outros homens não existe, realmente, este sentimento radical de estranheza. Os europeus nunca ignoraram totalmente a existência da África, ou da Índia, ou da China, sua lembrança esteve sempre presente, desde as origens (...) No início do século XVI, os índios da América estão ali, bem presentes, mas deles nada se sabe ainda que, como é de se esperar, sejam projetadas sobre os seres recentemente descobertos imagens e idéias relacionadas a outras populações distantes. O encontro nunca mais atingirá tal intensidade, se é que esta é a palavra adequada. O século XVI veria perpetrar-se o maior genocídio da história da humanidade. (Todorov, p. 4-6.) A análise do texto e os conhecimentos sobre o encontro entre as culturas indígenas, negro-africanas e européias, no Novo Mundo, permitem afirmar:
A - O caráter “surpreendente” do descobrimento, referido no texto, influiu, no Período Colonial, as políticas de aproximação, de catequese e de exploração do europeu em relação ao homem americano.
B - O homem americano encontrado pelos europeus apresentava um grau considerável de diversidade cultural, que variava do estágio de povos da América do Sul, ao estágio de complexidade econômica e social de povos da América Central.
C - O genocídio referido no texto incidiu, preponderatemente, sobre as populações das ilhas do Caribe, visto que as outras regiões foram protegidas pelas bulas decretadas pela Igreja.
D - Os interesses comerciais presentes no tráfico de africanos entre os séculos XVI e XIX levaram à predominância demográfica e cultural das etnias africanas em certas áreas do Novo Mundo, em detrimento da influência indígena nesse mesmo período.
E - O equilíbrio entre os padrões culturais europeus e afro-indígenas, no Novo Mundo, está associado à ação catequética e pedagógica de ordens religiosas, instituições eclesiásticas e associações missionárias que atuaram no Período Colonial.
F - A baixa fecundidade dos negros e mestiços, na América Latina explica o aumento do contigente populacional de brancos nesse continente.

Questão 13: (UEFS/BA) Uma das razões de predominância do negro na população do Brasil Colonial foi:
A - a incidência de invasões no litoral da Colônia;
B - a economia extrativista do pau-brasil e das drogas do sertão;
C - o lucrativo comércio de escravos entre o Brasil e as Antilhas;
D - a economia agroexportadora baseada no trabalho compulsório;
E - o apresamento de mão-de-obra escrava pelos bandeirantes paulistas.

Questão 14: (UFSJ/MG) “Embarcando em viagens para o interior, muitos jovens redigiram ou ditaram seus testamentos, manifestando a necessidade de penetrar no sertão para “buscar remédio para minha pobreza.” (MONTEIRO, John Manuel. Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo, 1994) Muitos participantes das bandeiras viam-nas como uma solução para a sua pobreza. Que “remédio” procuravam ao enfrentar as incertezas dos sertões?
A - A procura de drogas e o cultivo comercial de especiarias do sertão.
B - O apresamento de indígenas e a procura de minérios preciosos.
C - O trabalho de catequese dos colonos e a construção das missões.
D - O povoamento do interior com a agroexportação açucareira.

Questão 15: (UFC) Nos primórdios do sistema colonial, as concessões de terras efetuadas pela Metrópole portuguesa visaram tanto à ocupação e ao povoamento como à organização da produção do açúcar, com fins comerciais. Assinale a alternativa correta sobre as medidas que a Coroa portuguesa adotou para atingir esses objetivos:
A - Dividiu o território em capitanias hereditárias, cedidas aos donatários que, por sua vez, distribuíram as terras em sesmarias a homens de posses que as demandaram.
B - Vendeu as terras brasileiras a senhores de engenho já experientes que garantiriam uma produção crescente de açúcar.
C - Dividiu o território em Governações Vitalícias, cujos governadores distribuíram a terra entre os colonos portugueses.
D - Armou fortemente os colonos para que pudessem defender o território e regulamentou um uso equânime e igualitário da terra entre colonos e índios aliados.
E - Distribuiu a terra do litoral entre os mais valentes conquistadores e criou engenhos centrais que garantissem a moenda das safras de açúcar durante o ano inteiro.

Questão 16: (UFMS) A figura e o texto que seguem dizem respeito à conquista do Brasil e à presença das sociedades indígenas no âmbito da história do país.
Mapa “A Conquista do Brasil pelos Civilizados”. In: AZEVEDO, Aroldo de. Terra Brasileira: o Brasil e o Mundo. São Paulo : Cia. Editora Nacional, 1966, v. II p. 104.
“Aqueles que estão habituados a assistir a filmes de faroeste talvez não acreditem que aquelas cenas de lutas entre índios e aventureiros brancos ainda aconteçam atualmente. Mas infelizmente no Brasil ainda ocorrem”
[...]
“Na verdade, desde a chegada dos primeiros colonizadores até a atualidade, tem havido luta contra os índios, uma luta em que estes sempre saem perdendo. Toda a área hoje habitada pelos civilizadores do Brasil, onde se levantam as cidades e onde se fazem plantações, foi conquistada aos índios. No Período Colonial, essa luta não raro se fez com a permissão do governo metropolitano e até com utilização de suas tropas. Depois da Independência do Brasil, o governo não mais permitiu a luta contra os índios, mas ela continuou sendo feita por iniciativa de particulares, que desobedeciam as proibições governamentais” (MELATTI, Júlio Cezar. Índios do Brasil. 5. ed. São Paulo/Brasília:
Hucitec/Editora UnB, 1987. p. 179.) A partir da análise da figura e do texto apresentados e com base em seus conhecimentos sobre a história do Brasil, é correto afirmar que:
1 - o processo de conquista, propriamente dito, teve início com a chegada dos pioneiros portugueses, em fins do século XV. No século XVI, os europeus conquistaram e colonizaram grandes extensões de terras situadas no litoral do leste e do sudeste do Brasil;
2 - apesar de todos os choques armados, da escravidão e das epidemias sofridas pelos índios, cerca de 75% das sociedades indígenas existentes no Brasil, em tempos coloniais, conseguiram sobreviver até os dias de hoje, mantendo suas línguas, seus usos, seus costumes e suas tradições;
4 - no século XVIII, também por conta da exploração de ouro no interior da Colônia, muitas etnias indígenas começaram a desaparecer, a exemplo
dos antigos Kayapós do Sul, habitantes da região meridional de Goiás e do Triângulo Mineiro, entre outras áreas;
8 - no século XIX, os criadores de gado que avançaram pelo centro do país estabeleceram uma convivência pacífica com os xavante e os kayapós, ocupando os espaços vazios ali existentes para evitar, dessa forma, eventuais conflitos diretos com os indígenas; 16 - no século XX, em São Paulo, os construtores da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil entraram em conflito com os kaingang; e, na Amazônia, seringueiros e coletores de castanha-do-pará mantiveram muitos pontos de luta aberta contra os índios que lá estavam estabelecidos antes deles;
SOMATÓRIA (_____)

Questão 17: (PUC-RIO) A formação do espaço territorial brasileiro resultou de um conjunto de experiências históricas no qual interferiram processos de conquista e colonização, políticas de povoamento, guerras e acordos diplomáticos. Os itens abaixo apresentam algumas dessas experiências:
I. O Tratado de Tordesilhas foi o primeiro documento legal a delimitar possessões portuguesas nas Américas.
II. As bandeiras promovidas por paulistas, no século XVII, promoveram a fundação de vilas e cidades, nas atuais regiões Sudeste e Norte.
III. Anexada ao território brasileiro, em 1821, a Banda Oriental do Uruguai vai permanecer por poucos anos no Império do Brasil como a Província da Cisplatina.
IV. O Tratado de Petrópolis (1903) incorporou a região do Acre ao território brasileiro.
Assinale:
A - Se somente I, III e IV estão corretos.
B - Se somente I, II e IV estão corretos.
C - Se somente II, III e IV estão corretos.
D - Se somente I e II estão corretos.
E - Se todos os itens estão corretos.

Questão 18: (UPE) Para Portugal era fundamental ocupar as colônias, para evitar conflitos com as nações inimigas e garantir a colonização. Apesar das dificuldades iniciais, terminou por implantar o sistema de capitanias hereditárias. Era feita a doação da terra ao donatário, mas o poder continuava centralizado nas mãos do rei.
No caso da capitania de Pernambuco, seria correto afirmar que:
A - juntamente com as capitanias de São Vicente e do Maranhão foram as mais lucrativas;
B - seu donatário não conseguiu ocupar a capitania, sendo obrigado a retornar a Portugal e a desistir da ocupação;
C - conseguiu prosperar, destacando-se pela produção do açúcar;
D - foi ocupada, inicialmente, por invasores franceses, apesar da luta do seu donatário para expulsá-los;
E - seu donatário se dedicou ao cultivo do algodão e do açúcar, tornando-se um dos centros culturais da colônia no século XVI.

Questão 19: (FUVEST/SP) "A fundação de uma cidade não era problema novo para os portugueses; eles viram nascer cidades nas ilhas e na África, ao redor de fortes ou ao pé das feitorias; aqui na América, dar-se-ia o mesmo e as cidades surgiriam..." (João Ribeiro, História do Brasil) Baseando-se no texto, é correto afirmar que as cidades e as vilas, durante o Período Colonial brasileiro:
A - foram uma adaptação dos portugueses ao modelo africano de aldeias junto aos fortes para proteção contra ataques das tribos inimigas;

B - surgiram a partir de missões indígenas, de feiras do sertão, de pousos de passagem, de travessia dos grandes rios e próximas aos fortes do litoral;
C - foram planejadas segundo o padrão africano para servir como sede administrativa das capitais das províncias;
D - situavam-se nas áreas de fronteiras para facilitar a demarcação dos territórios também disputados por espanhóis e holandeses;
E - foram núcleos originários de engenhos construídos perto dos grandes rios para facilitar as comunicações e o transporte do açúcar.

Questão 20: (UNIFESP/SP) Entre os donatários das Capitanias Hereditárias (1531-1534), não havia nenhum representante da grande nobreza. Esta ausência indica que:
A - a nobreza portuguesa, ao contrário da espanhola, não teve perspicácia com relação às riquezas da América;
B - a Coroa portuguesa concedia à burguesia, e não à nobreza, os principais fatores e privilégios;
C - no sistema criado para dar início ao povoamento do Brasil, não havia nenhum resquício de feudalismo;
D - na América portuguesa, ao contrário do que ocorreu na África e na Ásia, a Coroa foi mais democrática;
E - as possibilidades de bons negócios aqui eram menores do que em Portugal e em outros domínios da Coroa.

Questão 21: (UFSC/SC) Leia o texto: Trechos de uma carta escrita pelo espanhol Luiz Ramires, marujo da armada de Sebastião Caboto, com data de 10 de julho de 1528, em que descreve alguns acontecimentos ocorridos durante a sua estada na Ilha de Santa Catarina: De maneira que, outro dia de manhã, vimos vir outra canoa de índios e um cristão dentro dela. Este deu novas ao Sr. Capitão General como estavam naquela terra alguns cristãos, que eram até quinze [...] E também disse de outro cristãos, que se diziam Melchior Ramirez [...] e Enrique Montes, os quais disse haviam ficado mais de treze ou quatorze anos que estavam naquela terra...(Revista do Instituto Histórico e Gráfico Brasileiro. Rio de Janeiro, p.14-41 1852,v. XV).Com base no texto e nos seus conhecimentos a respeito do povoamento inicial da linha de Santa Catarina, assinale a(s) proposição(ões) verdadeira(s):
1 - A Ilha de Santa Catarina era despovoada até a chegada da expedição da qual fazia parte o espanhol Luiz Ramires.
2 - A Ilha de Santa Catarina foi povoada, na época do descobrimento do Brasil (1500), por uma expedição comandada por Enrique Montes
4 - A Ilha de Santa Catarina era, no início do século XVI, habitada por indígenas, com quem os europeus fizeram contato.
8 - Na segunda década do século XVI, na Ilha de Santa Catarina, viviam entre os índios alguns cristãos, entre os quais estavam Melchior Ramirez e Enrique Montes.
16 - Os primeiros europeus que chegaram à Ilha de Santa Catarina foram paulistas vindos de São Vicente
SOMATÓRIA (_____)

Questão 22: (FAVIC/BA) Na história brasileira, o Período Colonial se estendeu além de três séculos. Identifique as afirmativas verdadeiras sobre esse período:
I. No início da colonização, a concessão, pelos donatários, de grandes sesmarias aos colonos deu início à tradição brasileira de concentração da propriedade fundiária, que continua vigente até o momento atual.
II. Estruturada como desdobramento da expansão mercantil européia, a economia colonial se caracterizou por se limitar à lavoura de produtos tropicais e às atividades extrativas, visando atender aos interesses da Metrópole.
III. Quanto à organização política, jurídica e administrativa, o Brasil foi dividido em capitanias hereditárias e os donatários, ao receber as concessões, também receberam apoio militar e financeiro do governo português, com o objetivo de fazer prosperar a colônia.
IV. Entre os ciclos econômicos vigentes nesse período, o da mineração trouxe como conseqüência o aumento da população colonial, o surgimento de novas cidades e uma sociedade urbana, com alguma mobilidade social.
V. Como a Metrópole tinha posse legal e plena jurisdição sobre a colônia, todos os movimentos nativistas tiveram caráter separatista, sendo que o mais importante, a Conjuração Baiana, pretendia estabelecer uma república em Salvador.
A alternativa que indica todas as afirmativas verdadeiras é a:
A - I, II e IV
B - I, II e V
C - I, III e V
D - II, III e IV
E - III, IV e V

Questão 23: (UNIFACS/BA) Com base nos conhecimentos sobre o espaço brasileiro, sua ocupação e organização, pode-se afirmar:
A - A Lei de terras, aprovada, durante o Segundo Reinado, em benefício dos imigrantes europeus, garantiu a expansão da pequena e da média propriedade no Brasil.
B - Os solos brasileiros são de origem vulcânica, arenosos, laterizados, lixiviados, o que confirma a afirmação "em se plantando tudo dá", de Pero Vaz de Caminha.
C - O sistema de capitanias hereditárias foi a solução encontrada pelo governo português para centralizar o poder da colônia brasileira e abolir as disputas pela posse da terra.
D - A posse da terra, no feudalismo da Europa, representava um dos critérios de diferenciação social e, no Brasil-Colônia, o europeu implantou um sistema fundiário com características semelhantes.
E - O extenso litoral brasileiro possibilitou ao país grande integração comercial com as nações do hemisfério Norte, desde o século XVI, quando os Estados Nacionais europeus resistiram à política mercantilista.

Questão 24: (UESC/BA) Quanto à aplicação da expressão "Capitania de Ilhéus", é válido afirmar que essa:
A - se refere, até os dias atuais, a toda a região produtora de cacau;
B - se manteve até o final do século XIX, quando Ilhéus foi elevada à condição de cidade;
C - correspondeu apenas ao século XVI, quando pertencia à família do Governador Mem de Sá;
D - se restringia, desde o Período Colonial, aos territórios dos atuais municípios de Ilhés e de Itabuna;
E - prevaleceu até a segunda metade do século XVIII, ocasião em que o território foi anexado à Capitania da Bahia.

Questão 25: (UFPE) A definição das fronteiras dos territórios da América, ocupados por portugueses e espanhóis, foi alvo de disputas. Neste sentido, é correto afirmar o que segue:
A - O Tratado de Madri, assinado entre Portugal e Espanha, em 1750, garantiu aos portugueses o atual território do Rio Grande do Sul.
B - O Tratado de Madri (1750) possibilitou mudanças na posse do território brasileiro; entretanto, não anulou o Tratado de Tordesilhas.
C - Deve-se ao Tratado de Madri o estabelecimento das fronteiras entre terras espanholas e portuguesas na Amazônia, em Mato Grosso e na Região Sul do Brasil.
D - O Tratado de Sto. Ildefonso (1777), anulando o Tratado de Madri, diminuiu os conflitos no sul do Brasil: Portugal ficou com a Ilha de Santa Catarina e quase todo o território do Rio Grande; e a Espanha, com a colônia do Sacramento e os Sete Povos das Missões.
E - Em 1801, Portugal, que continuava com a posse dos Sete Povos das Missões, assinou com a Espanha o tratado de Badajós. Por este acordo, a Espanha renunciava às suas pretensões a este território.

Questão 26: (UFMT) No Brasil-Colônia, a realidade geográfica e cultural possibilitou diversidade tanto na relação entre as várias regiões como na relação com a Metrópole. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):
A - Até meados do século XVIII, o Nordeste concentrava atividades econômicas e vida social significativa, enquanto o Sul representava uma área periférica, menos urbanizada.
B - Algumas semelhanças marcaram as colonizações do Sul e do Norte: debilidade da agricultura, exportação, forte presença de índios, disputa entre colonizadores e missionários, escassez de moeda e utilização de troca nas relações comerciais.
C - No século XVII, a invasão holandesa em Pernambuco e na Bahia alterou o caráter exploratório da colonização na região.
D - A proximidade entre os vários componentes das bandeiras e a necessidade de enfrentar dificuldades comuns por um longo período garantiam a essas expedições um caráter democrático que marcou as relações sociais no Planalto de Piratininga.

Questão 27: (UFRGS) Em 1750, em virtude do Tratado de Madri, de 13 de janeiro, o governo metropolitano de Lisboa ordenou ao então governador de Santa Catarina, Manoel Escudeiro de Souza, que mandasse para o Rio Grande do Sul, particularmente para o povoado da Lagoa do Viamão, o Porto do Dorneles, uma leva de casais dos que estavam por chegar. Em 1752, começam a chegar os primeiros "casais de número" que ficaram arranchados às margens do Guaíba. Considere as afirmações abaixo a respeito dos imigrantes açorianos que chegaram ao continente do Rio Grande no século XVIIII.
I. Eles foram enviados com a finalidade inicial de fixar e povoar a fronteira missioneira, na região Noroeste, fato jamais consumado diante da eclosão da Guerra Guaranítica.
II. Houve grande demora em regularizar a sua situação fundiária, devido aos conflitos de fronteira existentes entre as Coroas ibéricas nessa região.
III. As dificuldades enfrentadas por eles nos primeiros anos após o desembarque e a sua situação muito precária determinaram o fracasso dessa iniciativa povoadora.
Quais estão corretas?
A - Apenas I.
B - Apenas III.
C - Apenas I e II.
D - Apenas II e III.
E - I, II e III.

Questão 28: (UFF/RJ) Na década de 30, as obras de Gilberto Freyre redirecionaram os estudos sobre negros e cultura africana quanto à questão da identidade racial brasileira, pois contradiziam as afirmativas segundo as quais a miscigenação tinha causado um dano irreparável à nossa sociedade. Gilberto Freyre, em seus estudos:
A - trata da confluência do cotidiano rural e urbano no Brasil, o que se destaca em sua primeira obra – Sobrados e mocambos;
B - detém-se na análise das relações multirraciais vigentes na sociedade baiana do século XVIII;
C - enfatiza o cunho intensamente patriarcal da sociedade brasileira;
D - aprofunda as teorias raciais vigentes no Brasil na segunda metade do século XIX;
E - responsabiliza a sociedade derivada da mestiçagem pelos vícios sociais do povo brasileiro.

Questão 29: (UERJ) Compare os dois textos abaixo:Cinco grupos etnográficos, ligados pela comunidade ativa da língua e passiva da religião, moldados pelas condições ambientes de cinco regiões dispersas, tendo pelas riquezas naturais da terra um entusiasmo estrepitoso, sentindo pelo português aversão ou desprezo, não se prezando, porém, uns aos outros de modo particular – eis em suma ao que se reduziu a obra de três séculos. (ABREU, Capistrano de. Capítulos de história colonial. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira. 1976 - original de 1907.) É de assinalar que, apesar de feitos pela fusão de matrizes tão diferenciadas, os brasileiros são, hoje, um dos povos mais homogêneos, lingüística e culturalmente e também um dos mais integrados socialmente da Terra. Falam uma mesma língua, sem dialetos. Não abrigam nenhum contingente reivindicativo de autonomia, nem se apegam a nenhum passado. Estamos abertos é para o futuro. (RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.) No que diz respeito à formação da nação brasileira, os autores, nas passagens acima, divergem quanto ao significado de aspectos da:
A - herança colonial;
B - unificação territorial;
C - polarização regional;
D - imigração estrangeira.

Questão 30: (UFRGS) No chamado Período Colonial, a apropriação de terras na região platina provocou confrontos entre portugueses e espanhóis. Relacionados com esses confrontos, foram construídos, entre outros, os fortes abaixo:
I. Santa Tecla, no atual município de Bagé.
II. Jesus Maria José, na barra do Rio Grande.
III. Santa Tereza, ao sul do Chuí.
IV. Anhatomirim, na linha do mesmo nome.
Quais dessas construções foram determinadas pelo governo espanhol?
A - Apenas I.
B - Apenas III.
C - Apenas II, III e IV.
D - Apenas II.
E - Apenas III e IV.

Questão 31: (CESGRANRIO/RJ) Concluído a 13 de janeiro de 1750, entre os reis D. João V e D. Fernando VI, o Tratado de Madri apresentava como elementos definidores:
1. a separação dos territórios americanos pertencentes àqueles monarcas, por um meridiano localizado a 370 léguas a oeste das Ilhas de Cabo Verde;
2. a entrega, à Espanha, da Colônia de Sacramento e a passagem para o domínio português da região dos Sete Povos das Missões Orientais do Uruguai;
3. o princípio de que, nas terras já povoadas, cada parte conservaria o que tivesse ocupado, salvo onde ocorresse razão para o contrário;
4. a posse, pelo governo da Espanha, da região dos Sete Povos das Missões Orientais do Uruguai e da Colônia de Sacramento;
5. a fixação definitiva dos limites entre a Capitania do Cabo do Norte e a Guiana Francesa.
A - 2 e 3
B - 4 e 5
C - 1 e 3
D - 2 e 4
E - 1 e 5

Questão 32: (CESGRANRIO/RJ) Indicar o único elemento estranho ao grupo:No século XVI, a História do Brasil é assinalada sobretudo pelo reconhecimento, conquista e ocupação do litoral. Vinculam-se a essas características os elementos abaixo:
A - a criação do sistema de capitanias hereditárias;
B - as expedições para a defesa do litoral comandadas por Cristóvão Jacques;
C - a fundação da Colônia do Santíssimo Sacramento por Manuel Lobo;
D - a expedição de 1530/32 sob o comando de Marfim Afonso de Sousa;
E - a instituição do Governo-Geral, tendo por sede a cidade de Salvador.

Questão 33: (FGV/RJ) A atual configuração do território brasileiro foi definida em suas linhas gerais no século XVIII pelo:
A - Tratado de Tordesilhas, que fixou os domínios portugueses e espanhóis na América;
B - Tratado de Santo Ildefonso, pelo qual foram cedidos a Portugal os Sete Povos das Missões;
C - Tratado de Utrecht, que incorporou ao Brasil a Província cisplatina;
D - Tratado de Lisboa, que garantiu os direitos de posse sobre o território do Acre;
E - Tratado de Madri, que reconheceu a ocupação territorial além do Meridiano de Tordesilhas.

Questão 34: São características gerais das bandeiras no Brasil:
A - expedições oficiais para reconhecimento do interior e para pesquisas minerais;
B - expedições particulares com objetivos lucrativos, como apresamento indígena e pesquisa mineral;
C - expedições semi-oficiais de caça ao índio e ao negro foragido;
D - expedições particulares, com financiamento da Coroa, para promover a integração do interior superpovoado;
E - expedições jesuítas para catequese e defesa dos índios.

Questão 35: (FCMSCSP) Nos fins de 1700 encerrou-se o Ciclo do Bandeirantismo; nesta altura as conquistas dos aventureiros paulistas resultam em significativas alterações na vida, na História e na Geografia brasileira. Das alterações relacionadas a seguir:
I. surgimento de importante centro de povoamento no interior: as Minas Gerais;
II. transferência do pólo administrativo do Sul para mais ao Norte, isto é, do Rio de Janeiro para Salvador;
III. posse efetiva das terras a Oeste do Meridiano de Tordesilhas (apesar do “Tratado”), que daí passou a praticamente todo o Planalto Central.
Escreve-se corretamente em:
A - I e II apenas;
B - I e III apenas;
C - II e III apenas;
D - I, II e III;
E - nenhuma delas.

Questão 36: (FGV/RJ) Qual destas definições expressa melhor o que foram as bandeiras?
A - Expedições financiadas pela Coroa que se propunham exclusivamente a descobrir metais e pedras preciosas.
B - Movimento de fundo catequético, liderado pelos jesuítas, para a formação de uma nação indígena cristã.
C - Expedições particulares que apresavam índios e procuravam metais e pedras preciosas.
D - Empresas organizadas com o objetivo de conquistar as áreas litorâneas e ribeirinhas.
E - Incursões de portugueses para atrair tribos indígenas a fim de serem catequizadas pelos jesuítas.

Questão 37: (PUC-RS) Dentre as primeiras medidas tomadas pela Coroa portuguesa para a ocupação do Brasil, após 1530, não podemos incluir:
A - o envio de expedição de Martim Afonso de Sousa;
B - a decisão de desenvolver a produção de açúcar;
C - a criação do sistema de capitanias hereditárias;
D - a expulsão dos holandeses;
E - a tentativa de transferir para particulares o custo da colonização.

GABARITO:
questão 1:a) Na historiografia brasileira temos vários temas controversos, sendo que o bandeirismo é um deles. Existem trabalhos que colocam os bandeirantes como grandes heróis, desbravadores do sertão, homens que permitiram ao Brasil ter o grande território que tem hoje. De fato a ação dos bandeirantes, percorrendo as terras americanas para muito além do Tratado de Tordesilhas redefiniu o traçado territorial colonial e foi decisivo para a configuração estabelecida pelo Tratado de Madrid de 1750.
b) Em contrapartida, existem trabalhos que apresentam os bandeirantes como mercenários, homens cruéis e violentos, que teriam sido os grandes responsáveis pela dizimação de milhares de índios. Existe ainda, uma terceira corrente que, contrapondo a documentação e verificando os relatos de época, afirma que os bandeirantes não são o que podemos chamar de orgulho da nação, pois sua prática foi violenta, no entanto não podemos deixar de considerar o contexto no qual viviam. Era uma época de extrema pobreza, onde a sobrevivência era difícil. Nem bandidos nem heróis, os bandeirantes eram homens rudes, em sua grande maioria pobres, que já não falavam o português, misturavam-no com dialetos indígenas e que incentivados pela coroa portuguesa abasteceram as regiões com mão-de-obra e descobriram novas riquezas num momento de crise.
questão 2: a) Organizadas a partir de São Paulo as bandeiras eram expedições não oficiais, portanto de iniciativa privada, que objetivavam o lucro executando atividades como a caça ao índio, a prospecção de minérios e o sertanismo de contrato.
b) O indígena era uma mercadoria rentável para o bandeirante. Em contrapartida, para o comprador — o colono —, era um produto bem mais barato que o escravo africano, o que incentivava o negócio.
c) Os rituais antropofágicos constituíam-se como cerimônias de homenagem aos inimigos abatidos, uma vez que, ao devorá-los, os vencedores acreditavam estar incorporando sua força e sua destreza para a luta.
questão 3: 45 - questão 4: E - questão 5: A - questão 6: D - questão 7: A - questão 8: A, D - questão 9: E - questão 10: D - questão 11: C - questão 12: A, B, D - questão 13: D - questão 14: B - questão 15: A - questão 16: 21 - questão 17: A - questão 18: C - questão 19: E - questão 20: E - questão 21: 12 - questão 22: A - questão 23: D - questão 24: E - questão 25: A, C, D, E - questão 26: A, B - questão 27: C - questão 28: C - questão 29: A - questão 30: A - questão 31: A - questão 32: C - questão 33: E - questão 34: B - questão 35: B - questão 36: C - questão 37: D

Nenhum comentário:

Postar um comentário