quarta-feira, 20 de julho de 2011

Atividades de História do Brasil - Açúcar

Questões de Vestibular: História - Brasil - Açúcar

Questão 1: (UFPR) “O ser senhor de engenho é título a que muitos aspiram, porque traz consigo o ser servido, obedecido e respeitado por muitos”. Essa frase de João Antônio Andreoni (conhecido como Antonil), escrita no seu livro Cultura e Opulência do Brasil por suas drogas e minas, refere-se aos:
A - ricos comerciantes que lidavam com os negócios de exportação e importação;
B - proprietários das terras que formavam a aristocracia agrária, de grande poder econômico e político;
C - lavradores assalariados que plantavam a cana-de-açúcar;
D - trabalhadores livres dos engenhos: artesãos, barqueiros, capatazes;
E - grandes proprietários das fábricas de manufaturas têxteis.

Questão 2: (UNIFEI/MG) Após ler o texto abaixo e relacioná-lo à gravura, marque a alternativa INCORRETA:
“Attendendo ao bem commum que provém aos meus fieis vassallos de se estabelecer no Brasil uma Escola Real de Sciencias, Artes e Offícios, em que se promova e diffunda a instrucção e conhecimentos indispensáveis aos homens destinados não só aos empregos públicos de administração do Estado, mas também ao progresso da agricultura, mineralogia, indústria e commercio, de que resulta a subsistência, commodidade e civilização dos povos (...). Marquez de Aguiar, etc. Palácio do Rio de Janeiro em 12 de Agosto de 1816. Com a rubrica de El-rei Nosso Senhor / Marquez e Aguiar.”SESQUICENTENÁRIO da Independência do Brasil. Rio de Janeiro: UEG. 1974. p. 131.

A - A arte na vida brasileira, durante o período colonial, ocupou um lugar secundário e praticamente ficou confinada aos templos religiosos, apesar do aparecimento de Antônio Francisco Lisboa – o Aleijadinho – e Manuel da Costa Ataíde.
B - A fundação da primeira escola de artes e ofícios da colônia e a atuação da própria missão francesa foram os primeiros passos no sentido de laicização das artes no Brasil. D. João VI abriu espaço para padrões neoclássicos, importando modelos culturais europeus.
C - A gravura representa uma obra de Vítor Meireles, que veio para o Brasil com a missão francesa em 1816 e compõe um grande acervo que retrata cenas do cotidiano na cidade do Rio de Janeiro.
D - A missão francesa que se dirigiu para o Brasil era composta de intelectuais que apoiavam Napoleão Bonaparte e, após sua queda, vieram buscar refúgio na colônia.

Questão 3: (UPE) A dominação portuguesa, no Brasil, não trouxe os lucros esperados, entretanto alguns investimentos apresentaram maior rendimento econômico. A Guerra dos Mascates em Pernambuco, no Brasil colonial:
A - representou uma disputa entre Olinda e Recife pelo monopólio da exportação do açúcar e do pau-brasil;
B - foi uma revolta contra Portugal, em busca de maior liberdade política e religiosa;
C - definiu a supremacia política de Olinda, quebrando os avanços comerciais do Recife;
D - resultou da rivalidade entre Olinda e Recife, beneficiando, em alguns aspectos, o Recife;
E - transformou o Recife em grande centro comercial do Nordeste e capital da Província de Pernambuco.

Questão 4: (UFPE) Através dos engenhos de produção de açúcar, Portugal conseguiu acumular riquezas e ampliar os investimentos no Brasil. Contou ainda com o financiamento dos holandeses. As condições de vida, nos engenhos de cana-de-açúcar:
A - não privilegiavam nem mesmo os senhores, devido à sua falta de estrutura;
B - eram de luxo apenas para os representantes oficiais da Igreja Católica;
C - eram de muito luxo e ostentação para aqueles que trabalhavam como assalariados;
D - eram muito precárias nas senzalas, onde habitava a maior parcela dos escravos;
E - dependiam apenas dos senhores, que algumas vezes construíam pequenas moradias para seus escravos.

Questão 5: (UCS/RS) Assinale a alternativa que apresenta as características predominantes da economia colonial brasileira e cujas marcas se fazem sentir, ainda hoje, em nossa sociedade:
A - Produção monocultora, grande propriedade (latifúndio) e trabalho escravo.
B - Monopólio comercial, pequena propriedade rural e trabalho servil.
C - Produção para o mercado interno, propriedades diversificadas e trabalho assalariado.
D - Monocultura de exportação, propriedade minifundiária e trabalho escravo.
E - Importação de matéria-prima, latifúndio e trabalho escravo de negros e índios.

Questão 6: (UFPE) A colonização portuguesa fez-se sob a tutela dos princípios econômicos mercantilistas, que priorizavam a atuação do Estado e destacavam o metalismo. No Brasil, houve participação de companhias de comércio com a finalidade de agilizar os negócios metropolitanos. Essas companhias:
A - no século XVIII, tiveram apoio do Marquês de Pombal, que era o secretário do rei D. José I;
B - restringiram suas atividades à importação do algodão e do café no século XVIII;
C - tentaram livrar, no século XVIII, a economia do monopólio do açúcar, incentivando a livre concorrência;
D - tiveram êxito nas suas tentativas de dinamizar o comércio colonial do Sudoeste, no século XVII;
E - restringiram-se ao comércio do algodão, sendo extintas no século XVII.

Questão 7: (UNIFOR/CE) O Nordeste brasileiro ainda sofre as conseqüências do processo de exploração da economia açucareira realizada no Brasil Colonial. Considerando as características vigentes na organização social e econômica da produção de açúcar naquele contexto histórico nessa região, pode-se afirmar que persistem a:
A - grande concentração fundiária e a pequena diversificação da produção;
B - diversificação da produção agrícola e o trabalho compulsório nas grandes fazendas;
C - produção voltada para mercado local e a pequena concentração de terra;
D - descentralização na organização da produção e a valorização do trabalho especializado;
E - liberdade de produção industrial e a centralização na organização da produção agrícola.

Questão 8: (UFPel/RS) "[...] Se, num primeiro momento, o que se observa são movimentos relativamente simples de exploração da mata – numa relação que confunde colonialismo com extrativismo –, a efetivação do domínio toma feições de uma de limitação geometrizada do território pela via das capitanias hereditárias, mas se consolida pela destruição da mata atlântica e sua substituição pela cana-de-açúcar.[...]" SANTOS, Douglas. A reinvenção do espaço. São Paulo: EDUNESP, 2002.De acordo com o exposto e os seus conhecimentos sobre as relações citadas, identifique a alternativa correta:
A - A cana-de-açúcar, gimnosperma que produz sacarose, foi um produto extrativo de grande importância econômica no Período Colonial brasileiro e contribuiu para alterar a paisagem florestal.
B - Com a divisão do território brasileiro em Capitanias Hereditárias, desenvolveu-se, em algumas delas, a plantação de cana-de-açúcar – angiosperma que produz a sacarose, composta por glucose e frutose – intensificando-se o desflorestamento, que se estende até os dias atuais.
C - A geometrização, da qual resultou o mapa do atual território brasileiro, demonstra a extinção das Capitanias Hereditárias quando da criação do Governo-Geral, no Brasil Colônia.
D - O traçado contemporâneo da divisão territorial brasileira foi determinado no Período Colonial, ao contrário da exploração econômica do bioma citado no texto, localizado na região central do país.
E - O colonialismo tem, na atividade extrativa, o seu único meio de acumulação de capitais; portanto, explorar as reservas vegetais significa manter a riqueza por mais tempo.

Questão 9: (UNIRIO/RJ) "E sentando no meu cais/Descalço, roto e despido/Sem trazer mais cabedal/Que piolho e assobios" (MATOS, Gregório de. Apud. WEHLING, A., WEHLING, M. J. C. de. Formação do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.) Os versos acima, escritos por Gregório de Matos no século XVII, satirizavam a vaidade e a rápida ascensão econômica dos comerciantes portugueses na Bahia, que apenas a partir do século XVIII adquiriram um status de maior importância na sociedade. Até essa época, um dos aspectos da sociedade colonial brasileira era definido pela seguinte afirmativa:
A - Os proprietários de terra, especialmente os senhores de engenho, representavam a "nobreza da terra".
B - A alta burocracia colonial, complemento das elites locais, era ocupada necessariamente por indivíduos nascidos em Portugal.
C - Os setores médios da sociedade, principalmente os grandes comerciantes do litoral, formavam um conjunto homogêneo de indivíduos.
D - Os ricos mineradores de ouro e diamantes, apesar de discriminados pela aristocracia da terra, ocupavam os cargos mais importantes na administração.

Questão 10: (UNICAP/PE) A colonização do Brasil foi baseada na experiência portuguesa nas ilhas do Atlântico e o primeiro engenho de açúcar brasileiro foi construído em São Vicente, no ano de 1532. Sobre o açúcar é correto afirmar que:
A - no ano de 1580, o Brasil possuía 115 engenhos espalhados pelo litoral dos atuais estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Pernambuco;
B - em Pernambuco, a cultura da cana-de-açúcar não encontrou as melhores condições para desenvolvimento, pelo clima muito quente e solo infértil;
C - no início da cultura açucareira, chamava-se engenho apenas o conjunto de instalações necessárias à fabricação do açúcar;
D - o clima tropical, o solo fértil, os rios abundantes e a maior proximidade da Europa transformaram Pernambuco no centro econômico da Colônia;
E - a maior parte desse latifúndio açucareiro era ocupada com canaviais e matas. Havia também um local destinado aos currais, à casa grande, à capela, à senzala e ao engenho.

Questão 11: (UFPeL/RS) observe a imagem de JOHNSON, Harold e SILVA, Maria Beatriz Nizza da. O Império Luso-Brasileiro. 1500-1620. In Nova História da Expansão Portuguesa. Lisboa: Estampa. 1992

Analisando a figura, no que se refere ao período histórico, à região onde era utilizada a moenda de cana-de-açúcar e à tração nela utilizada para executar o movimento de rotação dos rolos que moem a cana, assinale a alternativa correta:
A - Os engenhos de açúcar do Brasil Colonial estavam concentrados no litoral nordestino - devido ao clima subtropical e à existência de solo de massapê, muito fértil - e aproveitavam a energia potencial presente tanto no movimento dos animais - que eram a riqueza acessória à industrialização do açúcar - como no dos rolos da moenda.
B - A força motriz exercida pelo gado era muito utilizada na Zona da Mata nordestina, tanto na moenda - produzindo um movimento de rotação devido a um sistema de forças chamado binário, que apresenta mesmo módulo, mesma direção e sentidos contrários - quanto no transporte do açúcar aos portos de embarque.
C - A produção açucareira colonial se estendeu por todo o litoral nordestino, porque dependia exclusivamente do gado originário dessa região; na moenda, o momento da força de tração exercida pelos animais tem um valor elevado, devido ao fato de essa força estar sendo aplicada a uma certa distância do rolo central.
D - A região representada pela atividade açucareira localizava-se em uma faixa longa, do Sertão ao Litoral, propícia à maior produção de açúcar, que era consumido na Europa e em cuja produção eram utilizadas moendas, como a da gravura, em que o princípio físico da ação e reação não se aplica ao sistema animal-solo.
E - Ignoro a resposta.

Questão 12: (UNIFESP/SP) Com relação à economia do açúcar e da pecuária no Nordeste durante o Período Colonial, é correto afirmar que:
A - por serem as duas atividades essenciais e complementares, portanto as mais permanentes, foram as que mais usaram escravos;
B - a primeira, tecnologicamente mais complexa, recorria à escravidão, e a segunda, tecnologicamente mais simples, ao trabalho livre;
C - a técnica era rudimentar em ambas, na agricultura, por causa da escravidão, e, na criação de animal, por atender ao mercado interno;
D - tanto em uma quanto em outra, desenvolveram-se formas mistas e sofisticadas de trabalho livre e de trabalho compulsório;
E - por serem diferentes e independentes uma da outra, não se pode estabelecer qualquer tentativa de comparação entre ambas.

Questão 13: (UFMG) Leia este trecho de documento: ... pois o Brasil, e não todo ele, senão três capitanias que são a de Pernambuco, a de Tamaracá e a da Paraíba, que ocupam pouco mais ou menos, no que delas está povoado, cinqüenta ou sessenta léguas de costa, as quais habitam seus moradores, com se não alargarem para o sertão dez léguas, e somente neste espaço de terra, sem adjutório de nação estrangeira, nem de outra parte, lavram e tiram os portugueses das entranhas dela, à custa de seu trabalho e indústria, tanto açúcar que basta para carregar, todos os anos, cento e trinta ou cento e quarenta naus... (Diálogos das grandezas do Brasil. Texto anônimo escrito por volta de 1613-18.) Com base na leitura desse trecho, é correto afirmar que o sistema de exploração econômica implantado no Brasil nos primeiros séculos de colonização caracterizou-se por:
A - concentrar, nos incipientes meios urbanos, toda a estrutura de controle e comercialização da cana-de-açúcar, produto, em geral, comercializado em estado bruto;
B - distribuir contingentes populacionais ao longo de toda a costa brasileira e desenvolver, sobretudo, o extrativismo vegetal da espécie conhecida como pau-brasil;
C - favorecer o desenvolvimento da agricultura baseada na exploração da cana-de-açúcar, estimulando a fixação populacional, inicialmente, na faixa da mata nordestina;
D - incrementar o processo de colonização a partir do estimulo à vinda e fixação de contingentes populacionais, que aqui se estabeleciam em pequenas propriedades agrícolas.

Questão 14: (FUVEST/SP) No que diz respeito à combinação entre capital, tecnologia e organização, a lavoura açucareira implantada pelos portugueses no Brasil seguiu um modelo empregado anteriormente:
A - no Norte da África e no Caribe;
B - no Mediterrâneo e nas ilhas africanas do Atlântico;
C - no sul da Itália e em São Domingos;
D - em Chipre e em Cuba;
E - na Península Ibérica e nas colônias holandesas.

Questão 15: (PUC-PR) Sobre a sociedade brasileira da época colonial e primeiros tempos imperiais, é correto afirmar-se:
I. A sociedade colonial foi predominantemente rural, ocorrendo a urbanização do interior de Minas Gerais por efeito da economia aurífera.
II. A robusta casa grande, a característica do ciclo açucareiro e sociedade rural, passou a ter sua equivalente arquitetônica no sobrado, símbolo da classe predominante, nos tempos finais da época colonial.
III. Enquanto o poder patriarcal caracterizou a sociedade rural, o poder semipatriarcal ou até paternal assinalaria a sociedade urbana. Uma suavização dos rudes costumes surgiu em função da urbanização.
IV. Desde os primeiros tempos coloniais, a arquitetura espelhava os violentos contrastes sociais: a soberba casa grande tinha por contraste a senzala; os sobrados tiveram seus opostos nos miseráveis mocambos, prenúncios antigos das atuais favelas.
A - somente as opções II e III estão corretas;
B - somente as opções I e IV estão corretas;
C - somente as opções I, II e III estão corretas;
D - somente as opções II, III e IV estão corretas;
E - todas as opções estão corretas.

Questão 16: (UFPR) No final do século XVII, Portugal e Brasil tiveram que enfrentar dificuldades econômicas. Por quê?
A - Porque os engenhos de açúcar foram ocupados pelos espanhóis.
B - Porque Portugal e Brasil estavam unidos à Espanha e a Espanha era inimiga da Inglaterra.
C - Porque o açúcar das Antilhas começou a fazer concorrência ao açúcar do Brasil.
D - Porque os holandeses haviam destruído as plantações de cana-de-açúcar.
E - Porque fracassou o sistema de capitanias hereditárias.

Questão 17: (UFPR) “Estado centralizado e sistema colonial conjugam-se para acelerar a acumulação de capital comercial pela burguesia mercantil européia.” (NOVAIS, F. Brasil nos quadros do Antigo Sistema Colonial. In: Brasil em Perspectiva.) A respeito do sistema mercantilista e do sistema colonial, é correto afirmar que:
1 - monopólio, balança comercial favorável e protecionismo constituíam as principais características do sistema mercantilista;
2 - a produção do açúcar brasileiro conseguiu se expandir graças à rede de distribuição do produto, organizada pela Holanda;
4 - a inserção do Brasil no sistema mercantilista permitiu que fossem estabelecidas diversas indústrias na Colônia;
8 - os engenhos de açúcar no Brasil também produziam objetos e alimentos para o consumo próprio, garantindo auto-sustentação com referência a alguns produtos básicos;
16 - na vigência do sistema colonial, a descoberta do ouro nas Minas Gerais gerou modificações na economia brasileira, tornando-se o ouro seu principal produto no século XVIII.
SOMATÓRIA (_____)

Questão 18: (UFPR) História do Brasil, nos três primeiros séculos, está intimamente ligada à da expansão comercial e colonial européia na época Moderna. Parte integrante do Império ultramarino português, o Brasil colônia refletiu, em todo o largo período de formação colonial, os problemas e os mecanismos de conjunto que agitavam
a política imperial lusitana.
Julgue os itens abaixo:
1 - A colonização por meio da agricultura tropical aparece como solução através da qual se tornou possível valorizar economicamente as terras descobertas.
2 - A sociedade colonial brasileira foi estruturada no latifúndio, na escravidão e na monocultura.
4 - Objetivando a implantação da cultura canavieira e a produção de açúcar para o mercado europeu, iniciam-se no Brasil as cessões territoriais.
8 - O monopólio comercial das colônias pela Metrópole define o sistema colonial porque é através dele que as colônias preenchem sua função histórica.
16 - A colonização agrícola do Brasil não se inicia dentro da estrutura monopolista do sistema colonial.
SOMATÓRIA (_____)

Questão 19: (FGV/RJ) A produção de açúcar no Brasil colonial:
A - possibilitou o povoamento e a ocupação de todo o território nacional, enriquecendo grande parte da população;
B - praticada por grandes, médios e pequenos lavradores, permitiu a formação de uma sólida classe média rural;
C - consolidou no Nordeste uma economia baseada no latifundiário monocultor e escravocrata que atendia aos interesses do sistema português;
D - desde o início garantiu o enriquecimento da Região Sul do país e foi a base econômica de sua hegemonia na República;
E - não exigindo muitos braços, desencorajou a importação de escravos, liberando capitais para atividades mais lucrativas.

Questão 20: (UNESP/SP) A economia colonial no Brasil, baseada no sistema de plantation, caracterizava-se pela:
A - grande propriedade da terra, policultura, trabalho escravo e produção voltada para o mercado externo;
B - pequena propriedade da terra, cultura de subsistência, produção voltada para o consumo
interno e trabalho livre;
C - pequena propriedade da terra, produção manufatureira para a metrópole, mão-de-obra
compulsória do imigrante europeu e policultura;
D - grande propriedade da terra, mão-de-obra-escrava, produção para o mercado externo e cultura de subsistência;
E - grande propriedade da terra, monocultura, produção voltada para o mercado externo e trabalho escravo.

GABARITO:
questão 1: B - questão 2: C - questão 3: D - questão 4: D - questão 5: A - questão 6: A - questão 7: A - questão 8: B - questão 9: A - questão 10: A, C, D, E - questão 11: B - questão 12: B - questão 13: C - questão 14: B - questão 15: E - questão 16: C - questão 17: 27 - questão 18: 15 - questão 19: C - questão 20: E

Nenhum comentário:

Postar um comentário