quarta-feira, 1 de setembro de 2010

ATIVIDADES. 8º ANO. IMPERIALISMO. ENS. MINEIRO

8° ANO, ATIVIDADE, ENSINO MINEIRO, IMPERIALISMO E GUERRA, HISTÓRIA GERAL


1 (UFSC/SC) “A verdade e o amor sempre venceram. Houve tiranos e assassinos e eles pareciam invencíveis. Mas, no final, sempre caem. Pense nisso... sempre...”. (Mahatma Gandhi) Sobre o domínio inglês na Índia, é correto afirmar que:

I - os britânicos se instalaram na Índia a partir do século XVI, abrindo postos comerciais através da Cia. das Índias Orientais que, no início do século XIX, controlava o comércio e substituía antigos hábitos culturais por novos;

II - os indianos eram tratados como iguais pelos britânicos, que valorizavam a cultura destes, considerando-a superior à européia;

III - uma das estratégias de manutenção do controle sobre a Índia foi colocá-la sob administração direta da Coroa Britânica;

IV - a Coroa Britânica promoveu a construção de estradas de ferro, o que favoreceu muito as indústrias artesanais indianas;

V - Mahatma Gandhi defendia a resistência ao domínio britânico de forma pacífica, através do boicote a produtos ingleses e do não pagamento de impostos.

A - Se somente I e III estão corretas.
B - Se somente I, III, e V estão corretas.
C - Se somente II, III e IV estão corretas.
D - Se somente II e IV estão corretas.
E - Se somente I, III, IV e V estão corretas.


2 (UFSC/SC) "As raças superiores têm um direito perante as raças inferiores. Há para elas um direito porque há um dever para elas. As raças superiores têm o dever de civilizar as inferiores (...) Vós podeis negar, qualquer um pode negar que há mais justiça, mais ordem e moral, mais eqüidade, mais virtudes sociais na África do Norte desde que a França a conquistou?" Julis Ferry discursando no parlamento francês, em 28 de julho de 1885. ME SGRAVIS, Laima. A colonização da África. São Paulo: Atual, 1994, p. 32. Sobre o fenômeno a que se refere o texto e a foto acima, é correto afirmar que:

I - a exploração colonial não destruía as indústrias domésticas dos territórios ocupados, pois a mentalidade capitalista estimulava a poupança e a formação das classes médias nacionais;

II - nessa época, difundiu-se a idéia de que a capacidade de direção e organização, além do desenvolvimento científico e tecnológico, tornava os europeus superiores aos demais povos do mundo, o que lhes dava o direito à conquista de povos supostamente atrasados;

III - embora a intenção declarada pelos colonizadores fosse a de civilizar os atrasados povos africano e asiático, o resultado do imperialismo foi a escravidão, a tortura e a morte de milhões de nativos;

IV - as colônias impulsionavam as indústrias metropolitanas e eram fundamentais para o grande desenvolvimento do comércio internacional;

V - missionários católicos e protestantes acompanharam a ocupação dos novos territórios colonizados, mas raramente se dedicavam à conversão dos povos nativos, atuando principalmente entre os próprios colonizadores.

A - Se somente I e III estão corretas.
B - Se somente I, III, e V estão corretas.
C - Se somente II, III e IV estão corretas.
D - Se somente II e IV estão corretas.
E - Se somente I, III, IV e V estão corretas.


3 (PUC-RIO) Assinale a alternativa correta a respeito da expansão imperialista na Ásia e na África, na segunda metade do século XIX:

A - Ela derivou da necessidade de substituir os mercados dos novos países americanos, uma vez que a constituição de Estados Nacionais foi acompanhada de políticas protecionistas.

B - Ela foi motivada pela busca de novas fontes de matérias-primas e de novos mercados consumidores, fundamentais para a expansão capitalista dos países europeus.

C - Ela foi conseqüência direta da formação do Segundo Império alemão e da ampliação de suas rivalidades em relação ao governo da França.

D - Ela atendeu, primordialmente, às necessidades da expansão demográfica em diversos países europeus, decorrente de políticas médicas preventivas e programas de saneamento básico.

E - Ela viabilizou a integração econômica mundial, favorecendo a circulação de riquezas, tecnologia e conhecimentos entre povos e regiões envolvidos.


4 (UFRRJ/RJ) A expansão imperialista das potências européias sobre o continente africano, entre a segunda metade do século XIX e o início do século XX, alterou as estruturas das várias nações e territórios nos quais se manifestou. Sobre o imperialismo europeu na África, nesse contexto, é correto afirmar que:

A - justificou sua dominação na ideologia que defendia a ação européia como uma missão civilizadora capaz de conduzir os povos do continente a melhores condições de vida sob a tutela européia;

B - buscou a integração econômica das áreas dominadas como produtoras de manufaturados e exportadoras de capitais excedentes que atendessem às demandas de consumo geradas pela expansão demográfica européia;

C - Instituiu a dominação política e territorial sobre as áreas litorâneas e as antigas feitorias coloniais, tendo em vista o desenvolvimento do rico comércio das rotas marítimas da África oriental;

D - promoveu os conflitos culturais no continente, ao privilegiar as culturas tradicionais nas funções administrativas locais em detrimento das etnias europeizadas;

E - fortaleceu as lideranças tribais e o provincianismo como forma de controle social dos contingentes demográficos nativos majoritários frente aos europeus.


5 (UESC/BA) "No século XVII, os tecidos leves de algodão representavam 60% a 70% das exportações indianas. Com a industrialização, a Inglaterra produziu máquinas 350 vezes mais rápida do que um operário indiano. Graças à posição dominante, a Inglaterra pôde introduzir livremente seus tecidos na Índia. O resultado foi que, em menos de um século, a indústria dos algodões indianos havia praticamente desaparecido." (Ferro. In: Vicentino, p. 337) A análise do texto e da relação entre Revolução Industrial, capitalismo e imperialismo permitem afirmar:

A - A Índia enfrentou a concorrência inglesa, porque dispunha de um maior número de operários.

B - Os tecidos ingleses, de pior qualidade que os indianos, pagavam altos impostos de circulação em âmbito local.

C - O imperialismo inglês, na Índia, baseou-se nos princípios da cooperação e do respeito às tradições do artesanato local.

D - A produção de tecidos foi desarticulada, porque os seus responsáveis desistiram da ajuda inglesa para a aquisição de máquinas modernas.

E - A "posição dominante" da Inglaterra decorrida do poder econômico oriundo do capitalismo industrial e do poder político e militar, decorrente do imperialismo.


6 (UERJ) Quase todos os dias temos a possibilidade de ler um longo artigo sobre a "nova África" e sua habilidade para "jogar novo sangue nas artérias do comércio há muito bloqueadas pela esclerose da corrupção", sem uma só menção aos aspectos sociais da questão. (...) Sabemos, entretanto, que a realidade é menos rósea, que é possível falar de pelo menos duas Áfricas (a pobre e menos pobre) e que a potência da imagem nos lembra quase todo dia que nem tudo que reluz é ouro.(Jornal do Brasil, 11 out. 1998) Apesar da apregoada "renascença africana", os conflitos continuam dominando o panorama daquele continente, que assistiu, em 1996, a confrontos em 14 dos seus 53 países. Essa violência marcante pode ser explicada por motivos que remontam ao processo de colonização européia no século XIX. Um desses motivos é:

A - o rompimento da ordem tradicional tribal, em função dos interesses econômicos europeus;

B - a composição de uma elite local educada na Europa, em oposição a uma burguesia comercial nativa;

C - o desenvolvimento de diversos setores produtivos, em detrimento de uma economia de base primária;

D - difusão de um ideal pan-africano, em virtude da atuação de intelectuais africanos diplomados em universidades estrangeiras.


7 (UFF/RJ) A expansão imperialista sobre os territórios asiáticos e africanos no decorrer do século XIX foi, antes de tudo, um ato de conquista.

A partir desta afirmativa, identifique a opção que indica a nação européia expansionista, a região colonizada e o movimento de resistência possíveis de interrelacionar-se corretamente:

A - França – Argélia – Guerra dos Boxers;

B - Inglaterra – Índia – Revolta dos Cipaios;

C - Inglaterra – Sudão – Revolta dos Boers;

D - Portugal – Angola – MPLA;

E - Alemanha – China – Movimento Taiping.


8 (PUC-MG) A expansão imperialista, observada no decorrer da segunda metade do século XIX e da primeira metade do século subseqüente, apresentou como elementos constitutivos, EXCETO:

A - a partilha territorial do mundo entre as principais potências capitalistas, constituindo vastos impérios coloniais;

B - a crescente importância adquirida pela exportação de capitais, através de investimentos realizados e financiamentos concedidos;

C - a formação de grandes conglomerados financeiros e industriais, que passaram a controlar setores mais importantes da economia;

D - a difusão, no nível planetário, do conhecimento tecnológico e do progresso material, integrando diferentes povos e culturas.


9 (UNIRIO/RJ) "Foi essa consciência de nossa superioridade inata que nos permitiu conquistar a Índia. Por mais educado e inteligente que seja um indígena, por mais valente que ele se manifeste e seja qual for a posição que possamos atribuir-lhe, penso que jamais ele será igual a um oficial britânico." (Lord Kitchener, in: PANIKKAR, K. M., A Dominação Ocidental na Ásia. Tradução de Nemésio Salles, Rio de Janeiro: Saga, 1965, p. 160.) A expansão imperialista européia sobre o continente asiático, ao longo do século XIX e o início do século XX, atingiu uma de suas principais expressões na dominação britânica sobre duas das mais antigas civilizações da Ásia: a China e a Índia. Marque a opção abaixo que apresenta uma característica correta da dominação imperialista inglesa sobre a China ou a Índia.

A - Na Índia, a extinção do sistema religioso de castas favoreceu a inclusão dos indianos na sociedade inglesa, porque foram utilizados como mão-de-obra barata no parque industrial da Inglaterra.

B - Na China, a vitória militar dos ingleses sobre os exércitos imperiais chineses na Guerra do Ópio (1841) determinou a instalação do monopólio da Inglaterra sobre o comércio chinês de especiarias com o Ocidente.

C - Na Índia, a dominação britânica provocou a destruição da economia tradicional voltada para a subsistência e sustentada por manufaturas têxteis incapazes de concorrer com a produção inglesa de tecidos de algodão.

D - Na China, a hegemonia política e econômica inglesa impediu a atuação de outras potências imperialistas porque isolou o território chinês pelo Tratado de Pequim (1860).

E - Na Índia, uma alta burocracia de indianos exercia a administração das áreas conquistadas para reduzir os custos elevados gerados pelos gastos militares com dominação imperialista.

10 (UMC/SP) Correlacione às duas colunas:

01) Os franceses exerceram protetorado sobre esta região africana.

02) A Etiópia sofreu tentativas de ocupação, mal-sucedidas em 1889, e foi submetida em 1935 por essa nação européia.

03) Os ingleses tomaram essa antiga nação africana, depois da abertura do Canal de Suez.

04) Os ingleses dominaram essa região, que era ocupada por descendentes de holandeses.

05) Responsabilidade na liderança contra a pressão inglesa que existia desde a Guerra do Ópio.

( ) Sul da África

( ) Argélia

( ) Boxers, na China

( ) Itália

( ) Egito

A alternativa certa corresponde à seguinte numeração (obedecendo ao sentido de cima para baixo):

A - 4 – 1 – 5 – 3 – 2

B - 3 – 1 – 4 – 2 – 5

C - 3 – 2 – 4 – 1 – 5

D - 1 – 5 – 4 – 2 – 3

E - 4 – 1 – 5 – 2 – 3


11 (AMAM/RJ) Os países industrializados, a partir do século XIX, voltaram suas atenções para a África e a Ásia, visando estabelecer áreas coloniais próprias.Sobre o neocolonialismo, assinale a alternativa INCORRETA:

A - As potências industrializadas justificavam o domínio sobre outros povos como missão civilizadora, isto é, obrigação de difundir o progresso pelo mundo.

B - A garantia de fornecimento de matérias-primas para a indústria (ferro, carvão, petróleo) constituía-se no objetivo econômico do neocolonialismo.

C - A França iniciou suas conquistas coloniais pela Argélia (norte da África), utilizando tropas da chamada Legião Estrangeira.

D - A principal área de dominação do neocolonialismo europeu foi a América do Sul.

E - A dominação que os países europeus estabeleceram sobre o continente africano, no século XIX, é conhecida como Partilha Sul.


12 (UFSC/SC) No final do século XIX e início do século XX, como conseqüência do capitalismo monopolista e financeiro, dá-se a expansão imperialista. Dentre os objetivos essenciais desse imperialismo, temos:

I - desejo da Alemanha, da Inglaterra e de outros países de se apoderarem de áreas afro-asiáticas, com o objetivo de aprofundarem ainda mais os laços de amizade entre potências européias;

II - busca de mercados externos para onde pudessem as potências européias escoar excedente de seus produtos industrializados, a fim de evitar o problema da superprodução;

III - necessidade de dominar áreas para a colocação de capitais disponíveis, e cujo investimento lucrativo era limitado, na Europa;

IV - interesse em utilizar, em benefício do progresso da humanidade, as riquezas inexploradas em territórios das sociedades “atrasadas”;

V - necessidade de dominar regiões que pudessem não só fornecer matéria-prima para as indústrias européias como também mão-de-obra a preços mais baratos do que aqueles pagos aos trabalhadores europeus.

A - Se somente I e III estão corretas.
B - Se somente I, III, e V estão corretas.
C - Se somente II, III e V estão corretas.
D - Se somente II e IV estão corretas.
E - Se somente I, III, IV e V estão corretas.


13 (UFPR) “No tempo em que vivemos e na crise que atravessam todas as indústrias européias, a fundação de uma colônia é a criação de uma válvula de escape.” (Jules Ferry, colonialista francês). Some as corretas:

I - Uma das preocupações fundamentais dos colonizadores era propiciar o desenvolvimento integrado das suas colônias.

II - A expansão imperialista da Europa traduziu-se não só pela conquista de colônias, mas também pelo investimento de capitais em países independentes.

III - A corrida colonial visava conquistar mercados para as metrópoles.

IV - Entre as justificativas européias para as conquistas coloniais, havia também aquelas de ordem religiosa (converter os “pagãos”) e de ordem cultural (era “dever” da Europa levar sua civilização para os povos que consideravam “atrasados”).

V - A expansão européia à conquista de novas colônias deu-se sobretudo na África e na Ásia.

A - Se somente I e III estão corretas.
B - Se somente I, III, e V estão corretas.
C - Se somente II, III e IV estão corretas.
D - Se somente II e IV estão corretas.
E - Se somente II, III, IV e V estão corretas.


14 (UFSC/SC) Sobre o neocolonialismo praticado pela Europa, no século XIX é correto afirmar que houve:

I. ênfase no domínio político e escasso controle econômico;

II. investimentos no setor de infra-estrutura, como construções de estradas de ferro e aparelhamento dos portos;

III. procura de produtos tropicais, escravos e metais preciosos;

IV. busca de matérias-primas, como ferro e carvão.

Das proposições, está(ão) correta(s):

A - apenas I;

B - apenas I e II;

C - apenas II e IV;

D - apenas III e IV;

E - I, II, III e IV.


15 (UNESP/SP) Ao final do século passado, a dominação e a espoliação assumiram características novas nas áreas partilhadas e neocolonizadas.A crença no progresso, o darwinismo social e a pretensa superioridade do homem branco marcavam o auge da hegemonia européia. Assinale a alternativa que encerra, no plano ideológico, certo esforço para justificar interesses imperialistas:

A - A humilhação sofrida pela China, durante um século e meio, é algo inimaginável para os ocidentais.

B - A civilização deve ser imposta aos países e raças onde ela não pode nascer espontaneamente.

C - A invasão de tecidos de algodão do Lancashire desferiu sério golpe no artesanato indiano.

D - A diplomacia do canhão e do fuzil, a ação dos missionários e dos viajantes naturalistas contribuíram para quebrar a resistência cultural das populações africanas, asiáticas e latino-americanas.

E - O mapa das comunicações nos ensina: as estradas de ferro colocavam os portos das áreas colonizadas em contato com o mundo exterior.


16 (PUC/CAMP) A Expansão Neocolonialista do século XIX foi acelerada essencialmente:

A - pela disputa de mercados consumidores para produtos industrializados e de investimentos de capitais em novos projetos, além da busca de matérias-primas;

B - pelo crescimento incontrolado da população européia, gerando a necessidade de migração para a África e a Ásia;

C - pela necessidade de irradiar a superioridade da cultura européia pelo mundo;

D - pelo desenvolvimento do capitalismo comercial e das práticas do mercantilismo;

E - pela distribuição igualitária dos monopólios de capitais e pelo decréscimo da produção industrial.


17 (CESGRANRIO/RJ) A Guerra do Ópio (1840-1842) teve como uma de suas conseqüências:

A - a maior penetração do imperialismo inglês na China;

B - fechamento dos portos da China ao comércio ocidental;

C - a eliminação da influência colonialista francesa na China;

D - a queda do sistema de mandarinato na China;

E - a instituição de um governo republicano na China.


18 (UNICENP/PR) Assinale a afirmação incorreta sobre as seguintes transformações ocorridas no século XIX:

A - O ano de 1848 ficou conhecido como “Primavera dos Povos”.

B - A Unificação da Itália teve em Camilo di Cavour e Garibaldi suas figuras mais expressivas.

C - A “Comuna de Paris” foi uma experiência liberal-anárquica semelhante à ocorrida na Espanha na época de Carlos V.

D - Bismarck destacou-se no processo de Unificação da Alemanha.

E - Uma das conseqüências da Revolução Industrial foi a formação da classe operária.


19 (UEPG/PR) Movimento que representou a primeira revolução proletária e o primeiro ensaio de ditadura do proletariado. Mesmo sendo duramente reprimido e derrotado, desferiu o primeiro golpe no capitalismo. Trata-se do (a):

A - Revolução Russa;

B - Movimento Cartista;

C - Revolução Mexicana;

D - Comuna de Paris;

E - Primavera de Praga.


20 Uma das principais características do Imperialismo era:

a) o incentivo de técnicas de produção para o desenvolvimento total da Ásia e África.

b) buscar novos territórios para imigração do povo europeu, uma vez que a pressão demográfica na Europa exigia uma solução.

c) busca de locais capazes de atender às necessidades de consumo, produzindo lucro garantido aos investidores.

d) busca de territórios fornecedores apenas de matérias-primas.


21 Com relação à história contemporânea, julgue as alternativas abaixo:

I - O “novo imperialismo europeu” no século XIX se estendeu, em especial, à África e à Ásia.

II - A unificação italiana e a alemã na segunda metade do século XIX.

III - O socialismo evoluiu do estágio utópico para o científico.

IV - O grande desenvolvimento das ciências técnicas, do século XIX, possibilitou a conquista do progresso tecnológico atual.

V - Ao nacionalismo exagerado de certos países europeus atribui-se uma das principais causas da Primeira Guerra Mundial.

Assinale uma ÚNICA alternativa:

a) Se todas forem corretas;

b) Se apenas I e II forem corretas;

c) Se apenas I III e V forem corretas;

d) Se apenas II IV e V forem corretas.


22 Na evolução histórica contemporânea, a expansão imperialista do século XIX trouxe como conseqüência:

a) a descolonização da América e a independência dos Estados Unidos.

b) a divisão do mundo em dois blocos e o aparecimento das nações subdesenvolvidas.

c) o domínio econômico americano sobre o ocidente e a hegemonia soviética sobre o oriente.

d) a partilha da África e a dominação européia sobre as vastas áreas da Ásia.



23 Observe o desenho abaixo sobre a “partilha da África” (1870-1914) período também conhecido como “Paz Armada”. Responda o que resultou do interesse das potências capitalistas européias em:


a) provocar uma nova partilha territorial dos países do primeiro mundo.

b) investir seus capitais excedentes nas colônias, obter mercados fornecedores de matérias-primas e reservar mercados para seus produtos industrializados.

c) promover o desenvolvimento das colônias através da aplicação de recursos (capitais) excedentes na industrialização desses países.

d) desenvolver a produção de gêneros alimentícios nas colônias, para suprir o

mercado europeu que estava em decadência.


24 (VUNESP) Ao final do século passado, a dominação e a espoliação assumiram características novas nas áreas partilhadas e neocolonizadas. A crença no progresso, o darwinismo social e a pretensa superioridade do homem branco marcaram o auge da hegemonia européia. Assinale a alternativa que encerra, no plano ideológico, certo esforço para justificar interesses imperialistas:

a) A humilhação sofrida pela China, durante um século e meio, era algo inimaginável para os ocidentais.

b) A civilização deve ser imposta aos países e raças onde ela não pode nascer espontaneamente.

c) A invasão de tecidos de algodão do Lancashire desferiu sério golpe no artesanato indiano.

d) A diplomacia do canhão e do fuzil, a ação dos missionários, e dos viajantes naturalistas contribuíram para quebrar a resistência cultural das populações africanas, asiáticas e latino-americanas.

e) O mapa das comunicações nos ensina: as estradas de ferro colocavam os portos das áreas colonizadas em contato com o mundo exterior.


25. (FUVEST) No século XIX, a história inglesa foi marcada pelo longo reinado da rainha Vitória. Seu governo caracterizou-se:

a) pela grande popularidade da rainha, apesar dos poderes que lhe concedia o regime monárquico absolutista vigente;

b) pela expansão do Império Colonial Britânico na América, explorado através do monopólio comercial e do tráfico de escravos;

c) pelo início da Revolução Industrial, que levou a Inglaterra a tornar-se a maior produtora de tecidos de seda;

d) por sucessivas crises políticas internas, que contribuíram para a estagnação econômica e empobrecimento da população;

e) por grande prosperidade econômica e estabilidade política, em contraste com uma acentuada desigualdade social.


26. A industrialização acelerada de diversos países, ao longo do século XIX, alterou o equilíbrio e a dinâmica das relações internacionais. Com a Segunda Revolução Industrial surgiu o imperialismo, cuja característica marcante foi o(a):

a) substituição das intervenções militares pelo uso da diplomacia internacional;

b) busca de novos mercados consumidores para as manufaturas e os capitais excedentes dos países industrializados;

c) manutenção da autonomia administrativa e dos governos nativos naquelas áreas conquistadas;

d) procura de especiarias, ouro e produtos tropicais inexistentes na Europa;

e) transferência de tecnologia, estimulada por uma política não-intervencionista.


27 (VUNESP) O mundo europeu escandalizou-se com a rebelião dos Boxers (1900) e se surpreendeu, depois, com suas conseqüências, as quais, de certo modo, antecipavam os movimentos nacionalistas que iriam revolucionar a China no século XX. As relações entre os europeus e o governo imperial chinês, no entanto, contribuíram para alimentar reações e ressentimentos populares contra:

I. os privilégios comerciais concedidos aos comerciantes estrangeiros;

II. os navios a vapor, as estradas de ferro e os telégrafos;

III. os missionários europeus que desfrutavam do direito de residência e de pregação;

IV. a luta de boxe, patrocinada diariamente pelos membros das comunidades diplomáticas estabelecidas em Pequim;

V. a intervenção dos missionários estrangeiros na administração dos governos.

Consideradas as proposições anteriores, assinale:

a) se apenas a proposição IV estiver correta;

b) se todas estiverem corretas;

c) se apenas as proposições I, II, III e V estiverem corretas;

d) se apenas as proposições I e V estiverem incorretas;

e) se apenas as proposições II e III estiverem incorretas.


28 (UDESC) A China desponta nos dias de hoje como uma das possíveis grandes potências do nosso século. Todavia, até meados do século XIX, ela era um país em grande parte isolado do restante do mundo e que, apesar de apresentar uma economia enfraquecida, resistia à voracidade dos interesses ocidentais. Naquela época, os primeiros a quebrar esse isolamento foram os ingleses. Assinale a única alternativa que corresponde aos meios empregados pelos ingleses para impor à China o comércio e outras influências ocidentais:

a) O monopólio do comércio da região pela Companhia das Índias Ocidentais.

b) A guerra do Ópio, com ataques às cidades portuárias chinesas.

c) A assinatura de tratados de livre comercialização do chá inglês.

d) A Guerra dos Boxers, que levou ao extermínio os nativos da região.

e) A imposição à China de uma nova forma de governo com feições ocidentais.


29 (FATEC) Ata Geral da Conferência de Berlim, em 26 de fevereiro de 1885:

"Capítulo I: Declaração referente à liberdade de comércio na Bacia do Congo...

Artigo 6° - Todas as Potências que exercem direitos de soberania ou uma influência nos referidos territórios comprometem-se a velar pela conservação dos aborígines e pela melhoria de suas condições morais e materiais de existência e a cooperar na supressão da escravatura e principalmente do tráfico de negros; elas protegerão e favorecerão, sem distinção de nacionalidade ou de culto, todas as instituições e empresas religiosas, científicas ou de caridade, criadas e organizadas para esses fins ou que tendam a instruir os indígenas e a lhes fazer compreender e apreciar as vantagens da Civilização."

Pela leitura do texto acima, podemos deduzir que ele:

a) demonstra que os interesses capitalistas voltados para investimentos financeiros eram a tônica do tratado;

b) caracteriza a atração exercida pela abundância de recursos minerais, notadamente na região subsaariana;

c) explicita as intenções de natureza religiosa do imperialismo, através da proteção à ação dos missionários;

d) revela a própria ideologia do colonialismo europeu ao se referir às "vantagens da Civilização";

e) reflete a preocupação das potências capitalistas em manter a escravidão negra.


30. (PUCC) A expansão neocolonialista do século XIX foi acelerada, essencialmente:

a) pela disputa de mercados consumidores para produtos industrializados e de investimentos de capitais para novos projetos, além da busca de matérias-primas;

b) pelo crescimento incontrolado da população européia, gerando a necessidade de migração para África e Ásia;

c) pela necessidade de irradiar a superioridade da cultura européia pelo mundo;

d) pelo desenvolvimento do capitalismo comercial e das práticas do mercantilismo;

e) pela distribuição igualitária dos monopólios de capitais e pelo decréscimo da produção industrial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário